Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,9892 | Euro R$ 5,4003
Search

Suplente de vereador em São Gonçalo é preso por venda ilegal de gás

Polícia investiga denúncias anônimas de associação do político com o tráfico local

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 10 de janeiro de 2024 - 15:05
Político foi encontrado com 16 botijões sem autorização para revenda
Político foi encontrado com 16 botijões sem autorização para revenda -

Um suplente de vereador de São Gonçalo foi preso em Alcântara, na manhã do último dia 3 de janeiro, acusado de comercializar ilegalmente botijões de gás de cozinha. De acordo com as investigações, ele teria envolvimento com um grupo que impede a atividade de revendedoras autorizadas de gás de cozinha em certas regiões do município, para favorecer o comércio ilegal do produto.

Depois de receberem denúncia através do Disque Denúncia, polícias da Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD) conseguiram localizar o veículo que era utilizado para a revenda não-autorizada, que era dirigido pelo suplente de vereador, com 16 botijões de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), sem qualquer autorização para distribuição. De acordo com os agentes, o suspeito teria confessado que estava levando os produtos para revendedores ilegais. 


Leia também:

➢ Gonçalense é sequestrado na porta de casa e família pede ajuda para encontrá-lo

➢ Comerciante morto em São Gonçalo será enterrado no Parque da Paz

➢ Advogado acusado de extorquir cliente é preso em Niterói


Tanto o veículo, quanto os botijões foram apreendidos e levados para a sede da DDSD, na Zona Norte do Rio, para onde também foi encaminhado o político. O suplente de vereador tem 29 anos e é filiado ao partido Solidariedade. Ele se candidatou a vereador em 2020, quando recebeu 639 votos - que não lhe garantiram uma cadeira na Câmara, mas lhe permitiram conseguir a vaga como suplente. 

Através de nota oficial, a direçaõ da executiva estadual do Partido Solidariedade informou que "não compactua com nenhum ilícito e confia na apuração dos órgãos competentes e no devido processo legal".

Matérias Relacionadas