Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,9806 | Euro R$ 5,4044
Search

Juíza espanhola diz que há indícios suficientes para comprovar que Daniel Alves cometeu estupro

Afirmação não tem efeito legal, mas faz parte de documento analisado por Justiça para o caso

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 02 de fevereiro de 2023 - 18:47
Investigações estão em fase inicial; jogador pode pegar até 12 anos de prisão
Investigações estão em fase inicial; jogador pode pegar até 12 anos de prisão -

O despacho que condenou Daniel Alves a prisão preventiva na Espanha declara que "há indícios muito mais do que suficientes" de que o atleta realmente estuprou uma mulher de 23 anos em uma balada em Barcelona. De acordo com o jornal europeu "El Periodico", a juíza Anna Marín, do Juizado de Instrução 15 de Barcelona, responsável pelo caso afirmou que já indícios do crime, apesar de as investigações ainda estarem em fase inicial.

A afirmação tem o caráter de observação na denúncia, que ainda está sendo avaliada pela Justiça para ser, possivelmente, levada à julgamento. O texto não tem efeito legal, mas servirá de base para a decisão da juíza.


Leia mais:

➢ Caso Daniel Alves: Amiga de vítima acusa jogador de passar mão em suas partes íntimas

➢ Caso Daniel Alves: Jovem que acusa o jogador de agressão sexual recusa indenização


A veracidade dos indícios foram questionados pelo advogado de Daniel, Cristóbal Martell. Em entrevista ao programa de TV "El Programa de Ana Rosa", ele alegou que as imagens de câmera de seguranças obtidas pela investigação contradizem o depoimento da vítima.

O lateral foi preso no último dia 20 de janeiro. Ele teria cometido o crime no final de dezembro, na balada Sutton. Ele é acusado de agressão sexual e estupro, além de denúncias de assédio com outra jovem que estava no local. Daniel está no Centro Penitenciário Brians 2, sem direito à fiança. Se condenado, ele pode pegar até 12 anos de prisão.

Matérias Relacionadas