Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,9953 | Euro R$ 5,4069
Search

Polícia desarticula milícia que agia em Rio Bonito (vídeo)

Grupo era de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, segundo investigações da 119ªDP. Trabalho policial foi originado por informações repassadas ao Disque-Denúncia-RJ

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 18 de janeiro de 2024 - 19:24
'Jajá' está sendo procurado
'Jajá' está sendo procurado -

Policiais civis da 119ª DP (Rio Bonito),  coordenados pelo delegado titular da unidade, Renato José Mascarenhas Perez, com o apoio de equipes Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE), do Departamento-Geral de Polícia Especializada (DGPE), do Departamento-Geral de Polícia (DGPI) e do Canil do Grupamento de Bombeiro Militar de Magé, e com informações passadas pelo Disque Denúncia (2253-1177), deflagraram nesta quinta-feira (18), uma operação denominada “Nella Tana” (Dentro da Toca, em italiano, em função de o sítio em que se encontravam os alvos ser em zona rural), cujo objetivo era desmantelar uma milícia armada que é investigada pela prática de dois homicídios no bairro Rio Seco, em Rio Bonito.

Os agentes, que cumpriram ordem de busca e apreensão no local, flagraram armadilhas espalhadas no sítio objeto da diligência, consistentes em fios esticados e rojões apontados para as pessoas que adentraram o local.

Ultrapassadas as armadilhas, os agentes flagraram o segurança do sítio com uma granada e com uma pistola, além de estar com diversas vestimentas camufladas, típicas das utilizadas pelas milícias.

Continuadas as diligências, em outra casa, o caseiro local foi flagrado com uma pistola também municiada. Em outros cômodos, ainda foram apreendidos uma carabina calibre .12 com tripé, luneta e lanternas acoplados, uma metralhadora calibre 9mm com silenciador, munições de diversos calibres, além de coletes balísticos e materiais operacionais.

Também foram apreendidas duas réplicas de arma fogo, dois carregadores conhecidos colo “lata de goiabada” – que comporta um número maior de munições – e dois dispositivos vulgarmente nominados “kit rajada”, próprio para fazer pistolas dispararem mais tiros por segundo.

Foram empregados cães da CORE e do CBMERJ, visando ao encontro de armas, explosivos, drogas e de ossada. As equipes flagraram uma criação de porcos no local que poderiam ter consumido os cadáveres, uma vez que já apresentam peso visível para o abate, mas eram mantidos no local.


Autor: Divulgação/Disque Denúncia RJ

O dono do sítio foi identificado como José Jaílson Almeida de Souza, vulgo Jajá, de 52 anos, um conhecido miliciano que mantém sua base no município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, segundo as investigações. Contra ele, existe um mandado de prisão pendente, número 0007653-68.2012.8.19.0021.01.0009-24, expedido pela 4ª Vara Criminal de Duque de Caxias, pelo crime de Homicídio Qualificado, e a autoridade policial da Delegacia de Rio Bonito, representará por outra prisão em desfavor de José Jaílson em função do farto material bélico encontrado.


Leia também

Morre Rui Motta, niteroiense e ex-baterista da banda Os Mutantes

Chuvas: São Gonçalo reforça plantão e abre pontos de apoio


Outras diligências estão sendo feitas, visando à identificação de outros membros da organização paramilitar. 

Quem tiver informações sobre a localização de grupos paramilitares, e de Jose Jaílson, favor informar ao Disque Denúncia, pelos seguintes canais de atendimento:

Central de atendimento: (021) - 2253 1177 ou 0300-253-1177

WhatsApp Anonimizado: (021) – 2253-1177 (técnica de processamento de dados que remove ou modifica informações que possam identificar uma pessoa)

Aplicativo: Disque Denúncia RJ

O anonimato é garantido.

Matérias Relacionadas