Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,9892 | Euro R$ 5,4003
Search

Dupla acusada de matar fã de Taylor Swift a facadas tem prisão decretada

Juntos, Anderson Brandão e Jonathan Barbosa, somam 24 anotações criminais

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 22 de novembro de 2023 - 10:43
Gabriel Mongenot era natural do Mato Grosso do Sul
Gabriel Mongenot era natural do Mato Grosso do Sul -

Anderson Brandão e Jonathan Barbosa acusados de matar Gabriel Mongenot Santana Milhomem Santos, de 25 anos, fã da cantora Taylor Swift, em Copacabana, na madrugada de domingo (19), tiveram a prisão preventiva decretada durante audiência de custódia realizada na última terça-feira (19) na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte, no Rio de Janeiro.

Conforme as testemunhas, Gabriel foi vítima de latrocínio, que é roubo seguido de morte. A prima do jovem, que estava junto no momento do crime, relatou ao jornal O Dia, que ele estava muito cansado e dormia na areia da praia de Copacabana após o show, quando foi surpreendido pelos assaltantes.


Leia mais:

➢ Fã de Taylor Swift é morto em assalto na Praia de Copacabana, no Rio

➢ Fã de Taylor Swift morta no Rio é sepultada no Mato Grosso do Sul


"O assaltante se exaltou pedindo as coisas e o Gabriel estava cochilando na hora. Ele levantou na gritaria, então para o assaltante ele reagiu, mas na verdade ele levantou na correria assustado e foi ferido. Além da tristeza a gente sente uma revolta. Eu vim pra passear, me divertir e eu estou levando ele morto para casa", contou.

O principal suspeito do assassinato é Jonathan Barbosa, que havia acabado de ser liberado, na quinta-feira (16) da prisão. Ele havia sido preso por furtar 80 barras de chocolate e solto em audiência de custódia cerca de 12 horas antes do crime. Ele foi preso novamente, após o assassinato, na tarde de domingo (19), nas proximidades da Lapa. O preso possui 10 anotações criminais, entre elas ofensa, roubo, furto e homicídio.

Já o outro suspeito, Anderson Brandão, que confessou também ter participado do crime, foi detido horas depois no mesmo lugar em que o assassinato ocorreu. O suspeito tem 14 passagens e já foi abordado 56 vezes pela polícia.

Durante a audiência, foi revelado que Gabriel e mais quatro amigos estavam na Praia de Copacabana, na altura do Posto 3, onde permaneceram próximo ao mar conversando. O grupo foi abordado pela dupla, que os pediu cigarro e, como foi negado, eles se dirigiram até um outro grupo maior que estava próximo, mas que imediatamente deixou o local por ter desconfiado da intenção dos dois.

Anderson e Jonathan, então, abordaram novamente o primeiro grupo e anunciaram o roubo, em seguida, recolheram alguns pertences. Segundo os amigos de Gabriel, no momento, ele estava deitado, dormindo quando se assustou com a abordagem e acabou reagindo, sendo esfaqueado em seguida. Os indiciados foram presos pouco depois.

Gabriel estudava Engenharia Aeroespacial pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e era filho da secretária-adjunta da Secretaria de Assistência Social (SAS) de Campo Grande, Inês Mongenot. O jovem, nascido em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, estava no Rio para assistir os shows da cantora norte-americana Taylor Swift, que aconteceram no Estádio Nilton Santos, na Zona Norte do Rio.

O corpo dele foi encontrado pelos policiais na areia da praia, altura da Rua Figueiredo de Magalhães, com ferimentos por objetivo perfurante. Gabriel estava com as pulseiras de amizade que fãs da artista costumam usar.

No próprio domingo (19), parentes estiveram no Instituto Médico Legal (IML) para liberar o corpo, que segue para o Mato Grosso do Sul, onde ele será sepultado com a roupa que customizou para o show de Taylor Swift.

Matérias Relacionadas