Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,9892 | Euro R$ 5,4003
Search

Moradores de Nova Cidade, em São Gonçalo, têm eletrodomésticos queimados por quedas constantes de energia

Situação no bairro já acontece há cinco anos

relogio min de leitura | Escrito por Clarice Viana | 28 de dezembro de 2023 - 10:49
Transformador  é a causa das quedas constantes de energia
Transformador é a causa das quedas constantes de energia -

Na Rua Fortunato Luz, no bairro de Nova Cidade, em São Gonçalo, um transformador tem causado transtornos na vida dos residentes do local. Os picos da energia que, segundo os moradores, são constantes, prejudica os eletrodomésticos das casas que queimam por conta da instabilidade.

A administradora Ana Carolina Melo, de 34 anos, conta que a situação já se estende há cinco anos, e, apesar dos residentes de Nova Cidade abrirem protocolo com a Enel, concessionária de energia da região, o transformador nunca foi trocado. “Já chegamos a fazer um abaixo-assinado com assinatura de todos que estão sofrendo com isso, mas a troca nunca foi feita”, contou.


Leia também:

Mulher leva soco ao ser supostamente confundida com pessoa trans

Advogada que assinou nota da 'Choquei' abandona caso após morte de jovem vítima de fake news


Ana ainda relata que seus eletrodomésticos foram danificados e já entrou com pedido de ressarcimento da empresa, mas esse problema, também, nunca foi solucionado.

“Uma vez a minha geladeira estragou no verão e a gente não podia esperar para mandar consertar, pagamos do nosso bolso”, revelou a administradora.

Quando um eletrodoméstico sofre algum dano por conta de queda de energia, a concessionária deve pagar pelo conserto do objeto, mas, antes, deve ser comprovado que o problema foi causado pela falta de luz. A comprovação deve ser feita por meio de uma visita técnica, com profissional contratado pelo próprio cliente lesado, e a visita deve ser feita por dois técnicos diferentes, é o que conta Carolina.

“Às vezes são eletrodomésticos que não podemos esperar para todo esse processo ocorrer, além de que, para fazer orçamento com alguma empresa, temos que desembolsar o pagamento da visita do técnico, que fica na média de 30 ou 40 reais, e a Enel exige que seja dois orçamentos. Só aí já temos que desembolsar 60 reais pra iniciar um processo de ressarcimento pela Enel”, disse ela. 

A moradora conta que já fez todo o processo uma vez e, quando foi finalizado, a Enel alegou que a perda do eletrodoméstico não foi causada pelos picos de luz.

“Quando chega a hora de ressarcir, eles dão várias justificativas para alegar que não foi culpa da Enel. Possuo vários protocolos, de queda de luz e de transformador, pois o que tem na minha rua já não supre mais a necessidade de todo mundo”, finalizou.

Procurada, a Enel Distribuição Rio esclarece que o fornecimento de energia encontra-se regular na localidade, mas que programará a ida de um gestor para avaliar a reclamação dos moradores e analisar a rede de energia.

Sob supervisão de Marcela Freitas 

Matérias Relacionadas