Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,9953 | Euro R$ 5,4069
Search

Alunos fazem vaquinha para recuperar R$ 19 mil da festa de formatura 'perdidos' por colega

A estudante do Colégio Estadual Tim Lopes precisou sair escoltada da escola pela PM e prestou depoimento na 22ª DP (Penha); O caso foi registrado como 'apropriação indébita'

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 19 de dezembro de 2023 - 16:37
A estudante do Colégio Estadual Tim Lopes precisou sair escoltada da escola
A estudante do Colégio Estadual Tim Lopes precisou sair escoltada da escola -

Uma estudante do 3º ano do Ensino Médio do Colégio Estadual Tim Lopes, no Complexo do Alemão, foi parar na 22ª DP (Penha) na última segunda-feira (18), para prestar esclarecimentos sobre o sumiço de R$ 19 mil arrecadados para realizar uma festa de formatura. Após a repercussão do caso, a turma iniciou uma vaquinha virtual para tentar recuperar o dinheiro e não ficar sem a tão sonhada comemoração.

Pais e alunos contaram que pagaram parcelas mensais à estudante para a festa de formatura. Eles iniciaram, nesta terça-feira (19), uma campanha de arrecadação digital. Até às 11h, já havia sido arrecadado o valor de R$ 2.976,19, mas o objetivo é recuperar os R$ 19 mil.


Leia mais

Brasileiras que tiveram malas trocadas são inocentadas pela justiça alemã

Parafusos são encontrados dentro do corpo de criança estuprada pelo pai


Por volta das 18h30 da última segunda-feira (18), a estudante, que disse que perdeu o dinheiro, foi à escola para dar explicações. Um grupo de alunos e pais partiu para cima da jovem. A direção chamou a Polícia Militar para conter o tumulto.

Em um vídeo, publicado pelo portal Voz das Comunidades, a mãe de uma aluna relatou que a jovem alegou "ter sacado o dinheiro, ido ao mercado e perdido no caminho".

De acordo com o delegado Renato Bezerra, o caso foi registrado na 22ª DP (Penha) como apropriação indébita, crime previsto no artigo 168 do Código Penal, que significa ficar com um bem de outra pessoa sem a permissão dela.

Em nota, a Polícia Civil declarou que foi instaurado um inquérito policial e os agentes estão "ouvindo as testemunhas, coletando as informações e realizando demais diligências para esclarecer os fatos". A investigação está em andamento.

Segundo a Secretaria estadual de Educação, a cerimônia oficial de formatura dos alunos ocorreu normalmente na última sexta-feira (15), nas dependências da unidade, no Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio, de forma gratuita, como ocorre anualmente.

Essa não é a primeira vez que uma aluna é investigada por suspeita de desvio de dinheiro de formatura.

Relembre o caso da USP

Em janeiro deste ano, a estudante de medicina Alicia Muller, de 25 anos, passou a ser investigada sob a suspeita de ter desviado R$ 920 mil do fundo de formatura dos alunos da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo) que irão terminar o curso ainda em 2023.

A acusação é de que ela teria usado o dinheiro para fazer aplicações financeiras. A polícia também investiga um golpe de mais de R$ 190 mil aplicado pela mesma estudante numa lotérica no bairro da Vila Mariana, Zona Sul de São Paulo.

Segundo a SSP (Secretaria de Segurança Pública), uma vítima registrou boletim de ocorrência contando que a universitária, que era a responsável pela comissão de formatura, desviou o dinheiro da conta. A pessoa também afirmou aos policiais que os alunos descobriram a fraude somente após a suspeita ter afirmado em um grupo de Whatsapp que perdeu o dinheiro arrecadado ao ter aplicado o montante.

Em nota a Faculdade de Medicina da USP informou que: "A Diretoria da Faculdade de Medicina foi informada que a Comissão de Formatura e, portanto, os alunos aderentes à formatura da Turma 106ª, foram vítimas de fraude após investimento do recurso arrecadado para organização das festividades de celebração, que ocorrerá ao final de 2023. Os fatos estão sendo apurados, buscando-se identificar os responsáveis pela fraude e a Diretoria está apoiando na orientação aos alunos envolvidos".

Matérias Relacionadas