Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,9892 | Euro R$ 5,4003
Search

Moradores da Brasilândia, em São Gonçalo, estão há 42 dias sem água

Falta de água se aproxima dos dois meses

relogio min de leitura | Escrito por Sofia Miranda | 06 de dezembro de 2023 - 12:18
Falta de água atinge a região há 42 dias
Falta de água atinge a região há 42 dias -

Moradores de 12 casas situadas na Travessa Rita de Cássia, na Brasilândia, em São Gonçalo, têm denunciado a interrupção no abastecimento de água há 42 dias. Segundo os residentes, funcionários da concessionária Águas do Rio justificaram que a falta de água acontece por obras que estão sendo realizadas próximo à região.

Como se não fosse o suficiente para empecilhar a rotina dos moradores, além da falta de água, a concessionária tem cobrado valores que não correspondem ao consumo de água, que pelo menos no último mês, não ocorreu. Segundo a vendedora Alexandra da Matta Leonardo, de 51 anos, a insatisfação com os serviços desempenhados pela concessionária teve início antes da paralisação do abastecimento:


Leia mais: 

OSG faz por você: Poste de energia que ameaçava cair é removido em SG

RJ-104: 'piscinão', cratera na pista e buraco em mureta causam transtornos em SG


"Na verdade a gente já vinha tendo alguns problemas desde que a CEDAE saiu e entrou Águas do Rio. Eles estão totalmente perdidos com o cadastros dos clientes, cobranças excessivas, minha conta de 58,00 foi pra 450,00 reais. Isso, alegando taxa excessiva de água e como se eu não tivesse hidrômetro. Eu não paguei esses valores e pedi revisão. Mostrei que tinha hidrômetro, enviei fotos. Cobram taxa de esgoto onde não existe esgoto", relatou.

Nas demais casas, a moradora afirma que os residentes são pessoas idosas, crianças e enfermas que também estão passando pela situação. '’Na vizinhança tem senhoras idosas, tem uma acamada. Eles alegam ter obras na nossa região e por isso precisam fechar as passagens de água.’’, contou.

Para driblar a situação, que já modificou totalmente sua rotina, a moradora conta que tem ido à casa da irmã para conseguir cumprir com a higiene básica: ‘’Eu saio pra trabalhar e a noite passo na casa da minha irmã para tomar banho e compro água mineral para beber. Minha irmã tem lavado minhas roupas e comida, não faço mais. De vez em quando pego uns baldes de água com um vizinho que tem uma cisterna, mas a água dele já está acabando’’, explicou.

Até o momento da publicação, a concessionária Águas do Rio comunicou que vai enviar uma equipe para verificar a demanda.

''A Águas do Rio informa que vai enviar uma equipe técnica ao local para verificar a ocorrência de abastecimento. E em relação à conta, a concessionária já entrou em contato com o cliente da matrícula informada e agendou uma vistoria no local para tratamento da demanda.''

Sob supervisão de Marcela Freitas 

Matérias Relacionadas