Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,9892 | Euro R$ 5,4003
Search

Falta de energia causa prejuízo de R$ 360 mil a unidades de saúde de São Gonçalo

Câmaras frias que armazenam vacinas foram danificadas

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 30 de novembro de 2023 - 11:01
Equipamentos danificados já foram enviados ao conserto pela Secretaria
Equipamentos danificados já foram enviados ao conserto pela Secretaria -

Vinte e quatro unidades de saúde da família e clínicas municipais de São Gonçalo ficaram sem as suas câmaras frias (geladeira que armazena vacinas e medicamentos) após cortes de abastecimento de energia elétrica que atingiram toda a cidade desde o dia 18 de novembro. A Secretaria de Saúde e Defesa Civil da Prefeitura de São Gonçalo está atuando para amenizar os transtornos causados à população com a falta dos equipamentos nos postos.

As câmaras foram danificadas após ficarem um período de tempo sem o abastecimento de energia elétrica. A maioria dos postos de saúde ficou sem energia por mais de dois dias na última semana, o que prejudicou o funcionamento das câmaras frias. Todas já foram enviadas para o conserto. Cada equipamento custa, em média, R$ 15 mil, totalizando um prejuízo de R$ 360 mil aos cofres públicos.


Leia também:

Operação Saúde com foco em diabetes no próximo sábado em SG

Jovens em famílias de baixa renda vão pagar meia até 29 anos 


“Entramos em contato com a Concessionária Enel para cobrar os reparos das câmaras frias danificadas durante a falta de abastecimento e constantes picos de energia nas unidades de saúde. Aguardamos retorno. A perda dessas câmaras frias é um prejuízo grande para os cofres públicos e, principalmente, para a população. A falta de luz causou transtornos para várias unidades de saúde e foi feito um mutirão para não perder vacinas”, disse o secretário municipal de Saúde e Defesa Civil, Gleison Rocha.

São Gonçalo participou, na última segunda-feira (27), do encontro de prefeitos e representantes de 65 municípios do Estado do Rio de Janeiro para tratar dos serviços prestados pela Enel no Theatro Municipal de Niterói. No encontro, foi assinado um pedido para que o Ministério Público mova uma ação coletiva contra a empresa por danos causados pela má prestação do serviço e cobrando providências imediatas.

O grupo de prefeitos também enviará cartas de manifestação de repúdio à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e ao Ministério de Minas e Energia.

Matérias Relacionadas