Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,9953 | Euro R$ 5,4069
Search

Natal mágico no Boa Vista: Decoração natalina é atração em bairro gonçalense

Desde 2007, o casal Carlos Augusto e Jane se empenham para decorar a própria casa e levar alegria para as crianças do bairro

relogio min de leitura | Escrito por Rafaela Marques | 27 de novembro de 2023 - 13:34
Há 16 anos, quem passa pela Avenida Joaquim de Oliveira, no bairro do Boa Vista, tem a oportunidade de experienciar de perto um pouco da magia do Natal
Há 16 anos, quem passa pela Avenida Joaquim de Oliveira, no bairro do Boa Vista, tem a oportunidade de experienciar de perto um pouco da magia do Natal -

Laços dourados, árvores verdes, brancas, coloridas, ornamentos de todas as cores, e claro, muitos pisca-piscas são o indicativo oficial de que o Natal está chegando. Quase tão automático quanto o início de novembro, é o início das extravagantes e criativas decorações de Natal, não importa onde. Muitas vezes usamos como referência cenas de grandes sucessos do cinema hollywoodiano, em que o “clima natalino” é composto por neve e trenós. Mas a verdade é que não há nada como a criatividade do brasileiro, e o espírito natalino do gonçalense.

Carlos e Jane estão juntos há 32 anos, e mantém a tradição desde 2007
Carlos e Jane estão juntos há 32 anos, e mantém a tradição desde 2007 |  Foto: Filipe Aguiar

Há 16 anos, quem passa pela Avenida Joaquim de Oliveira, no bairro do Boa Vista, tem a oportunidade de experienciar de perto um pouco da magia do Natal. Desde 2007, Carlos Augusto de Abreu, de 59 anos, e Jane Andrade de Abreu, de 57, casados há 32 anos, decoram todo o exterior da casa com tudo o que têm direito, como uma forma de levar alegria para a família e para a vizinhança.


Leia mais

Decoração natalina de casa em Alcântara vira atração turística do bairro

Barracão da Porto da Pedra recebe visita de musas


Para Carlos, todo o tema da decoração surge como um passe de mágica
Para Carlos, todo o tema da decoração surge como um passe de mágica |  Foto: Divulgação

Segundo Carlos Augusto, a ideia surgiu depois de um passeio em família, em que uma casa enfeitada serviu de inspiração para que ele quisesse começar a enfeitar a própria residência também. Seu principal objetivo sempre foi um: levar alegria para quem passasse em frente à casa, não importa a idade. E com amor e criatividade, a tradição nasceu.

Carlos e Jane contam que montar a decoração de fim de ano da casa se tornou uma tradição da família desde o primeiro ano, e quando tudo começou, eram os filhos quem mais ajudavam em todo o processo. Hoje em dia, com eles já adultos, casados e cada um com seus filhos, o número de ajudantes aumentou, assim como o empenho por decorações cada vez mais diferentes a cada ano.

Toda a família se envolve no processo de decoração, desde os mais velhos até os mais novos, como o caçulinha da família, o neto Theo, de 2 anos, fazendo com que os longos meses que antecedem o Natal, se tornem ainda mais especiais.

“A ideia da decoração da casa nasce quase no começo do ano, em maio, junho, ele já começa a pensar no que vai fazer. Aí quando chega agosto ele começa a botar em prática, para em novembro já estar tudo pronto.”, disse Jane.

Para Carlos, todo o tema da decoração surge como um passe de mágica. A partir de uma ideia ele reúne todas as suas habilidades e realiza. “O que vai ser colocado do lado de fora da casa é definido assim: aparece uma coisa na cabeça e a gente cria. Vai lá e faz.”, revelou o servidor público, que é o grande responsável pela criação da maior parte dos elementos da decoração.

Este ano, eles apostaram um um balão e um helicóptero para atrair a criançada
Este ano, eles apostaram um um balão e um helicóptero para atrair a criançada |  Foto: Filipe Aguiar

De acordo com o casal, hoje em dia a maior parte dos elementos diferentes, que mais chamam atenção de quem passa em frente ao imóvel, são artesanais, e feitos pela própria família. Nos últimos anos, Carlos já fez trenó, avião e caixa de correio, e em 2023, resolveu inovar: fez um helicóptero e um balão, ambos a partir da própria criatividade e dedicação.

“Já no meio do ano ele começa a comprar os ferros, a ver o que vai usar… Ele usa muita coisa reciclável também, então, por exemplo, ele usou galão de água, conduíte… Aí ele vai comprando aos poucos e depois vai montando. Pra no início de novembro a gente começar a acender as luzes.”, contou Jane.

Com uma decoração de - literalmente - parar o quarteirão, para a família, por mais que as luzes e os belos enfeites sejam visualmente agradáveis de se ter na casa, é a interação com as crianças, que torna tudo mais importante. “Acho que a alegria das crianças quando veem o Papai Noel sentado no helicóptero, ou a placa de ‘Boas Festas’, ou até mesmo a caixinha de correio, como fizemos em outro ano, é a melhor parte. Costuma passar muita gente na frente da casa, então sempre tem muita gente tirando foto.”, afirmou Carlos.

Apesar do encantamento ser a principal reação da maioria dos que passam pela decoração, há também quem ultrapasse os limites, e, infelizmente, casos de vandalismo acontecem de tempos em tempos. "De vez em quando aparecem alguns jovens que batem no Papai Noel, fazem gestos obscenos… mas aí eu chamo atenção direitinho e eles costumam entender.”, continuou.

Mas para quem gosta de acompanhar as decorações criativas de Carlos e Jane… Essa pode ser a última oportunidade, pois em breve, o casal pretende mudar de endereço e a famosa casa da Avenida Joaquim de Oliveira, se tornará de responsabilidade da filha do casal.

“Até então esse ano será o último. Vamos nos mudar e já está muito cansativo pra idade dele [Carlos], ter que fazer todas as decorações. Mas a gente não sabe como é que vai ser. De repente ele anima de novo. Tenha mais saúde, mais disposição para fazer tudo. Se tiver tudo isso, aí ano que vem a gente retorna.”, contou Jane. “Mas a minha filha e o meu genro, que vão ficar morando aqui, acredito que eles vão continuar com a tradição.”, complementou o marido.

Pais e mães tem o costume de levar seus filhos para tirar fotos em frente a casa
Pais e mães tem o costume de levar seus filhos para tirar fotos em frente a casa |  Foto: Filipe Aguiar

Ainda que continuar nem sempre seja uma decisão fácil, a demanda popular tem grande impacto nessa decisão, uma vez que pais, mães, avós, e até as próprias crianças, já começam a ‘cobrar’ a decoração quando novembro se aproxima. Segundo Jane, a tradição da família Abreu já se tornou tradição no bairro. “Quando chega, assim, outubro, começo de novembro, o pessoal já começa a passar aí cobrando. ‘Vai ter Papai Noel esse ano?’, ‘Vai ter Papai Noel?’ Então tem que fazer porque as crianças, os pais e os avós já ficam pensando em trazer as crianças no final de ano.”

Entre tantos momentos especiais que a família acompanha, há tantos anos, através dos relatos dos vizinhos e das imagens das câmeras, ver a alegria das crianças em tirar uma foto com o Papai Noel e acompanhar o amor de cada uma pelo Natal, é algo que os move, e que faz Carlos Augusto e Jane, sempre desejarem mais um ano.

Toda a família se envolve no processo de decoração, desde os mais velhos até os mais novos
Toda a família se envolve no processo de decoração, desde os mais velhos até os mais novos |  Foto: Divulgação

Passando em frente a casa, é possível entender que a magia do Natal não está nos filmes de Hollywood, em árvores glamourosas ou em presentes caros, mas sim, na possibilidade de acreditar que em meio a todo o caos e correria da rotina, levar alegria ao outro pode ser o melhor presente.

Sob supervisão de Marcela Freitas 

Matérias Relacionadas