Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,9892 | Euro R$ 5,4003
Search

Aos 85 anos, Porta-bandeira da Portela é vítima de racismo em loja

Vilma Nascimento havia sido homenageada em Brasília no Dia da Consciência Negra e, um dia depois, foi acusada de roubo em uma loja do Aeroporto Internacional de Brasília

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 23 de novembro de 2023 - 16:31
Vilma foi abordada pela segurança enquanto olhava os perfumes de uma loja
Vilma foi abordada pela segurança enquanto olhava os perfumes de uma loja -

Vilma Nascimento, 85 anos, conhecida como 'Cisne da Passarela', é porta-bandeira da escola de samba Portela há 66 anos. Na última segunda-feira (20), ela foi uma das personalidades negras homenageadas pela Câmara dos Deputados no Dia da Consciência Negra.

Porém, um dia após a homenagem, um vídeo gravado por uma das filhas de Vilma mostra o momento em que a porta-bandeira é obrigada a retirar todos os objetos de sua bolsa depois de ser acusada pela segurança de uma loja do Aeroporto Internacional de Brasília.


Leia também

Morte de peixes no Canal de Itaipu preocupa moradores

Enel alega retorno de energia, mas moradores seguem sem luz em SG


“Nunca passei por isso em toda a minha vida”, afirmou Vilma.

Em entrevista ao portal Metrópoles, Bernard Nascimento, neto de Vilma, contou sobre o ocorrido. De acordo com ele, depois de olhar alguns perfumes na loja, Vilma foi parada por uma segurança, que pediu para a porta-bandeira abrir a bolsa. “Em nenhum momento foi explicado porque a minha avó tinha que fazer isso. Loja cheia e ela é a única que tem que abrir a bolsa. Por que isso?”, questionou Bernard.

“A segurança fez ela tirar tudo de dentro da bolsa no meio da loja. Imagina a vergonha disso para uma pessoa de 85 anos. Quando ela já tinha tirado tudo, a mulher falou para o supervisor que realmente não tinha nada na bolsa dela”, afirmou o neto, que disse ainda que a loja e a segurança não se desculparam pelo acontecido.

Bernard também disse que, por conta do estresse, a saúde de Vilma ficou abalada. “Minha avó fica com o olho cheio d'água quando vê o vídeo. Até evito mostrar pra ela”. Segundo ele, a família pretende processar a loja e a funcionária.

O portal Metrópoles também entrou em contato com o Aeroporto, solicitando posicionamento referente ao ocorrido, mas os responsáveis ainda não enviaram resposta.

* Em apuração 

Matérias Relacionadas