Menina esfaqueada pelo padrasto recebe alta em São Gonçalo; Vídeo!

Avós da menina também receberam alta e se recuperam em casa

Escrito por Redação 17/06/2021 10:35, atualizado em 17/06/2021 11:24
Ela estava acompanhada de seu pai
Ela estava acompanhada de seu pai . Foto: Divulgação

A pequena Emylli Vitória Pereira Felício de Souza, de 5 anos, esfaqueada nove vezes pelo namorado na mãe, na semana passada, no bairro de Vista Alegre, em São Gonçalo, teve alta do Centro de Tratamento Intensivo (CTI Pediátrico) do Hospital Estadual Alberto Torres (Heat) na manhã desta quinta-feira (17).   

Acompanhada do pai, Diego Souza dos Santos, e da boneca que ganhou na unidade, Emylli deixou o hospital sobre aplausos dos médicos, enfermeiros, funcionários administrativos e dos parentes de pacientes internados no CTI, que acompanharam toda a dinâmica médica para manter a menina viva nos últimos nove dias.   

 

mylli deixou o hospital sobre aplausos
mylli deixou o hospital sobre aplausos | Foto: Divulgação
 

“Como o próprio nome dela diz, Emylli é uma vitória. Foi uma guerreira nestes últimos dias. Foi entubada, entrou em ventilação mecânica e recebeu doses fortes de medicação, além de transfusões sanguíneas. Mas, com a ajuda de Deus, conseguimos reverter o quadro e hoje ela está indo para casa”, disse feliz a coordenadora médica do CTI pediátrico, Leila Alves.   



LEIA MAIS: 

Tragédia: Homem mata esposa e esfaqueia enteada e sogros no Laranjal, em São Gonçalo

"É uma 'chacina' o que fizeram com a minha família", diz tio de mulher morta a facadas em SG

Após se entregar, homem que esfaqueou a mulher e seus familiares é transferido para sistema prisional

O avô da menina, José Felício, de 65 anos, voltou à unidade nesta quarta-feira para fazer um novo procedimento cirúrgico agendado pela equipe médica que o atendeu no Centro de Trauma. Ele levou uma facada no rosto e outras duas na região torácica. A esposa do seu José, Leda, de 63 anos, também foi ferida, mas teve alta e passa bem.   

 

 

Outras duas crianças, de 7 e 9 anos, irmãs de Emylli, conseguiram se salvar graças ao avô, que horas antes havia deixado as meninas em outro quarto da casa.   

Mas o ato levou a morte a mãe da menina, Ana Carolina Felício, de 29 anos, que morreu no local da ocorrência. O namorado dela e suposto autor do crime foi preso pela polícia dois dias depois do crime.   

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas