Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,9953 | Euro R$ 5,4069
Search

Justiça francesa investiga ‘favor fiscal’ na transferência de Neymar para o PSG

Ex-diretor de comunicação do clube teria pressionado governo francês para não pagar impostos na transferência realizada em 2017

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 03 de janeiro de 2024 - 16:37
O ex-diretor de comunicação do PSG Jean-Martial Ribes teria pressionado o governo francês para conseguir "favores fiscais"
O ex-diretor de comunicação do PSG Jean-Martial Ribes teria pressionado o governo francês para conseguir "favores fiscais" -

O jornal francês Libéracion divulgou, nesta quarta-feira (3) a informação de que o ex-diretor de comunicação do PSG Jean-Martial Ribes teria pressionado o governo francês para conseguir "favores fiscais" na transferência de Neymar para o clube, em 2017.

O portal teve acesso a um relatório de nove páginas da Inspeção-Geral da Polícia Nacional (IGPN). O documento, que foi apresentado a juízes de Paris em 21 de novembro de 2022, contém mensagens trocadas entre o ex-diretor do PSG e o ex-deputado governista Hugues Renson e uma ex-assessora do Palácio do Eliseu, residência oficial da Presidência da Repúbica da França.

Ainda segundo o jornal, para a lei francesa, a rescisão de € 222 milhões paga pelo clube poderia ser considerada como um adiantamento do salário do jogador. Nesse caso, o PSG deveria ter pago o valor devido à Seguridade Social e o imposto de renda.


Leia mais

Flamengo apresenta camisa com novos patrocínios, que passa a valer R$225 milhões

Vasco faz proposta por atacante do Atlético-MG e mira uruguaio


O Libéracion afirma também que, através do deputado Renson, Ribes teria conseguido pedir ao ministro das Contas Públicas, Gérald Darmanin, para dispensar o clube de pagar impostos na transferência de Neymar do Barcelona para o PSG em 2017.

Nas mensagens enviadas a Renson, Jean-Martial Ribes, que já foi indiciado por corrupção e tráfico de influência, pede pelo benefício para baratear a operação, que custaria muito ao clube. Segundo o jornal, o deputado diz que o gabinete do ministro Darmanin estava cuidando do caso.

Tags:

Matérias Relacionadas