Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down Euro down 5,4907
Search

Bicheiro Fernando Iggnácio é assassinado no Recreio, no Rio

Atiradores teriam atingido Fernando com diversos tiros de fuzil

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 10 de novembro de 2020 - 14:41
Atiradores teriam atingido Fernando com diversos tiros
Atiradores teriam atingido Fernando com diversos tiros -

Um dos contraventores mais conhecidos do estado do Rio de Janeiro, Fernando Iggnácio Miranda, foi assassinado no início da tarde desta terça-feira (10), no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste do Rio.

Segundo informações preliminares, Fernando estava num Heliporto, perto de seu carro, quando foi surpreendido por atiradores que estariam no alto de um muro. Ele foi atingido por diversos disparos de fuzil em uma emboscada quando retornava de Angra dos Reis. 

A Delegacia de Homicídios está no local realizando a perícia e apurando os fatos.

Policiais estão examinando o terreno baldio, ao lado do heliporto, de onde pode ter partido o tiro que matou o contraventor Fernando Iggnácio.

A disputa pela trono de Castor Andrade, patriarca da família Gonçalves Andrade e Silva

Em um jogo de poder, dinheiro e mortes por encomenda, a disputa para se tornar o chefão da contravenção do Rio acontece dentro de uma mesma família há 23 anos. A morte de Fernando Iggnácio se torna mais uma jogada, minunciosamente calculada, para que uma peça desse jogo ficasse de fora da disputa.

Esse cenário hostil na família Gonçalves de Andrade e Silva começou em 1997, com a morte do patriarca Castor Andrade, um dos principais nomes do jogo do bicho no Rio de Janeiro. Castor desejava que quem ocupasse o seu lugar no comando da contravenção da Zona Oeste, e em outras regiões do estado, fosse o seu sobrinho Rogério, escolha essa que não agradou a todos. O seu filho Paulinho Gonçalves não aceitou e iniciou um disputa perigosa com o primo.

E assim se deu a primeira morte na família por disputa de poder. Paulinho e seu segurança foram assassinados na Barra da Tijuca um ano depois da morte de Castor, em 1998. Quem então pegou o seu lugar para tentar bater de frente com Rogério foi o genro de Castor, Fernando Iggnácio, assassinado nesta terça (10). E foi com a participação de Fernando, responsável por controlar caça-níquéis na Zona Oeste, que as tentativas de assassinatos se intensificaram.

Rogério, que tentou pegar parte do domínio de caça-níquéis do Rio, chegou a sofrer uma tentativa de assassinato em 2001, sem sucesso. Em 2010, foi alvo de mais um atentado, tendo como vítima fatal o seu filho de 17 anos. Haviam colocado uma bomba no carro de Rogério, mas quem estava dirigindo o veículo naquele fatídico dia era seu filho, que não resistiu e morreu.

Fabíola Andrade e Rogério Andrade preparam evento no Jockey Club do Rio
Fabíola Andrade e Rogério Andrade preparam evento no Jockey Club do Rio |  Foto: Divulgação
 

Desde então, Rogério tenta a qualquer custo dar continuidade a linha sucessora da contravenção do Rio. Em novembro do ano passado, Rogério promoveu uma festa milionária de aniversário de um ano para o filho mais novo. Segundo informações, o escolhido por Castor estaria animado com a chegada do filho para assumir o seu lugar futuramente, já que o filho mais velho, que trabalha atualmente como DJ, se recusa a se envolver nos negócios da família.

Matérias Relacionadas