Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,9892 | Euro R$ 5,4003
Search

Ano novo, problema antigo: cabos são alvos contínuos de furtos no Centro de Niterói

Fios ficam cortados e largados pelas calçadas, atrapalhando circulação de pedestres pela via

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 03 de janeiro de 2024 - 12:54
Cabos atrapalham passagem de pedestres
Cabos atrapalham passagem de pedestres -

O ano de 2023 ficou para trás mas, aparentemente, os problemas enfrentados pela população no ano passado continuam os mesmos. Um dos exemplos é o recorrente furto a cabos de internet e telefonia no Centro de Niterói.

A Rua Visconde de Sepetiba, via onde fica localizada a sede da Prefeitura de Niterói, tem sido alvo de recorrentes furtos à fiação que, além de atrapalhar moradores e comerciantes que precisam do serviço de internet e telefonia, têm prejudicado também pedestres que caminham pelas calçadas da via.


Leia também:

Monitoramento do Cisp auxilia forças de segurança em três ocorrências em Niterói

253 presos do Rio de Janeiro liberados da detenção para o Natal não retornam ao presídio 


Na manhã desta quarta-feira (03), por exemplo, quem passou pelo local pôde se deparar com dezenas de metros de fios cortados e deixados na calçada da altura do número 704, atrapalhando a passagem dos pedestres e impedindo a circulação de pessoas com deficiência ou com carrinho de bebê.

  • Ano novo, problema antigo: cabos são alvos contínuos de furtos no Centro de Niterói
    Câmera 1/4
    Fullscreen
  • Ano novo, problema antigo: cabos são alvos contínuos de furtos no Centro de Niterói
    Câmera 2/4
    Fullscreen
  • Ano novo, problema antigo: cabos são alvos contínuos de furtos no Centro de Niterói
    Câmera 3/4
    Fullscreen
  • Ano novo, problema antigo: cabos são alvos contínuos de furtos no Centro de Niterói
    Câmera 4/4
    Fullscreen
Ano novo, problema antigo: cabos são alvos contínuos de furtos no Centro de Niterói Ano novo, problema antigo: cabos são alvos contínuos de furtos no Centro de Niterói Ano novo, problema antigo: cabos são alvos contínuos de furtos no Centro de Niterói Ano novo, problema antigo: cabos são alvos contínuos de furtos no Centro de Niterói
  • Ano novo, problema antigo: cabos são alvos contínuos de furtos no Centro de Niterói
  • Ano novo, problema antigo: cabos são alvos contínuos de furtos no Centro de Niterói
  • Ano novo, problema antigo: cabos são alvos contínuos de furtos no Centro de Niterói
  • Ano novo, problema antigo: cabos são alvos contínuos de furtos no Centro de Niterói

O problema acontece justamente na frente de um imóvel abandonado que tem servido de abrigo para pessoas em situação de rua e dependentes químicos, algo que tem preocupado também quem mora, trabalha e circula pela região.

Como tentativa de tentar diminuir os roubos, algumas empresas têm colocado "bilhetes" informando sobre a ausência de valor comercial dos cabos. Muitos são feitos de fibra óptica, que não possuem o mesmo preço do cobre, um dos metais mais utilizados no setor elétrico e que é muito procurado por ladrões devido a seu alto valor de revenda. Porém o "aviso" nem sempre surte efeito.

Imagem ilustrativa da imagem Ano novo, problema antigo: cabos são alvos contínuos de furtos no Centro de Niterói

Preocupação para operadoras

Durante o primeiro semestre de 2023, foram roubados e furtados 2,89 milhões de metros de cabos de telecomunicações em todo o Brasil, segundo dados reunidos pela Conexis Brasil Digital, entidade que representa as maiores operadoras de telecomunicações do país.

O volume de cabos roubados e furtados no primeiro semestre do ano passado aumentou 21,4% em relação ao segundo semestre de 2022, quando foram roubados 2,38 milhões de metros, e 23,5% em relação ao primeiro semestre do ano passado, quando o volume chegou a 2,34 milhões de metros.

No Estado do Rio, no primeiro semestre de 2023 foram 71.484 metros de cabos roubados, uma queda de 55,8% em relação ao primeiro semestre de 2022, quando foram 161.751 metros roubados ou furtados, e de 39,8% na comparação com o segundo semestre de 2022 (118.726 metros).

O setor de telecomunicações tem defendido uma ação coordenada de segurança pública envolvendo o Judiciário, o Legislativo e o Executivo, tanto o federal quanto os estaduais e municipais, e a aprovação de projetos de lei que aumentem as penas desses crimes e ajudem a combater essas ações criminosas.

O setor também defende a punição de empresas que compram equipamentos furtados ou roubados, além da mudança da regra que penaliza as operadoras quando o serviço é interrompido em decorrência do crime.

PM e Civil monitoram crimes

A Polícia Civil informou que todos os casos registrados nas delegacias são investigados e que trabalha em conjunto com a Polícia Militar para coibir tais práticas criminosas.

"A instituição ressalta que a repressão e a prevenção do comércio clandestino e da receptação de cabos e materiais metálicos são parte de ações constantes da Polícia Civil contra a criminalidade. Centenas de estabelecimentos foram fiscalizados e toneladas de diversos materiais foram apreendidos. Centenas de pessoas foram presas por envolvimento em diferentes elos da cadeia criminosa, como furtadores, receptadores, donos de ferros-velhos e recicladoras, além de funcionários de empresas e indústrias consumidoras do material final", concluiu.

Já a Polícia Militar comunicou que o 12ºBPM (Niterói) tem empreendido esforços para prevenir e coibir quaisquer práticas criminosas, incluindo os roubos e furtos a patrimônio público e privado. "Ações ostensivas, como rondas e abordagens, são empregadas nas ruas dos bairros da cidade, diuturnamente", disse.

Segundo a PMERJ, a unidade está aumentando as abordagens com foco em pessoas suspeitas, inclusive em situação de vulnerabilidade (moradores de rua), apreendendo diversos objetos perfuro cortantes frequentemente. Além disso, trabalha em conjunto com as delegacias da cidade de Niterói para identificar e prender os envolvidos em tais ações criminosas.

Segundo dados disponibilizados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), na área de policiamento do 12ºBPM, registrou queda de 35.2% no total de roubo, quando comparados os períodos entre os meses de janeiro e novembro de 2023 com o mesmo período do ano passado.

A Polícia Militar ressalta ainda a importância da colaboração da população realizando denúncias - o telefone do Disque-Denúncia é (21) 2253-1177 - e acionando nossas equipes pela Central 190 ou via Aplicativo 190. Os registros nas delegacias da Polícia Civil também são essenciais para que os procedimentos investigativos sejam iniciados.

Matérias Relacionadas