Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,9892 | Euro R$ 5,4003
Search

Justiça converte em preventiva prisão de homem por morte da filha em Niterói

A perícia apontou que Aoulath Alyssah apresentava inúmeras lesões provocadas por ação contundente nas costas, no tórax, nos braços e na face

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 13 de dezembro de 2023 - 16:58
Ilias Olachegoun Adeniyi Adjafo e o cinto usado para matar a filha
Ilias Olachegoun Adeniyi Adjafo e o cinto usado para matar a filha -

A Justiça do Rio de Janeiro manteve e converteu em preventiva a prisão de Ilias Olachegoun Adeniyi Adjafo pela morte da filha, de 8 anos, em Niterói. A decisão foi tomada nesta quarta-feira (13) durante audiência de custódia.

De acordo com a Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí, Ilias torturou Aoulath Alyssah Rodrigues Damala com golpes de cinto.


Leia mais sobre o caso

Pai acusado de matar filha em Niterói é transferido

Para delegado, morte da menina de 8 anos em Niterói foi tortura


"Os fatos relatados no APF [Auto de Prisão em Flagrante] indicam que o custodiado agrediu, com repetidos golpes, de forma intensa e brutal, uma criança de 8 anos, que não tinha capacidade de autodefesa, assumindo o risco de causar o resultado morte. Resta evidenciada a gravidade concreta do delito e alta periculosidade do indiciado. Ao menos neste momento inicial, são insuficientes as medidas cautelares diversas da prisão", declarou o juiz Alex Quaresma Ravache em sua decisão.

A perícia apontou que Aoulath Alyssah apresentava inúmeras lesões provocadas por ação contundente nas costas, no tórax, nos braços e na face.

Segundo um advogado que acompanhava Ilias, o beninês “não soube controlar a raiva”. O defensor disse ainda que o pai estava chorando muito ao ser detido e se dizia “arrependido”.

A família é do Benin, na África, mas a menina teria nascido no Brasil e morava apenas com o pai.

Matérias Relacionadas