Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,9892 | Euro R$ 5,4003
Search

Médica paulista é encontrada morta em casa, dentro de uma mala

O crime aconteceu em São José do Rio Preto, interior de São Paulo, e o principal suspeito é o namorado da vítima

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 19 de agosto de 2023 - 17:07
Thallita havia se mudado para São José do Rio Preto para cursar Medicina
Thallita havia se mudado para São José do Rio Preto para cursar Medicina -

Uma médica paulista foi encontrada morta dentro de uma mala na última sexta-feira (18), em São José do Rio Preto, no interior de São Paulo. Thallita da Cruz Fernandes, de 28 anos, era recém-formada e tinha o costume de compartilhar seus pensamentos e posicionamentos políticos nas redes sociais. Seu namorado, Davi Izaque Martins Silva, é o principal suspeito pelo crime.

De acordo com o boletim de ocorrência, a mãe de Thallita, que mora em Guaratinguetá, foi quem notou o sumiço da filha, que morava desde 2016 em Rio Preto, por conta da faculdade. Preocupada, pediu que uma amiga da filha fosse até o apartamento em que Thallita morava, mas ao chegar, a amiga da vítima percebeu que a porta estava trancada.

Por esse motivo, essa amiga ligou para a polícia, com a ajuda do porteiro do prédio, e ao entrar no apartamento, os agentes encontraram o corpo de Thallita nu, dentro de uma mala na lavanderia. Foram encontradas marcas de ferimentos no rosto da vítima, além de marcas de sangue no quarto e no banheiro da residência.


Leia mais:

Morador de SG, sobrinho de líder quilombola executada na Bahia pede justiça

'Quem mandou? Quem matou?' Prescrição simbolizou um segundo ‘enterro’



O corpo da jovem foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Rio Preto, onde passou por uma perícia, que definiu que as marcas no rosto de Thallita foram feitas por uma faca.

Segundo informações da polícia, o principal suspeito pelo crime, classificado como um possível caso de feminicídio, é o namorado da vítima, Davi Izaque Martins Silva, com quem ela tinha um relacionamento de três anos. O homem foi a última pessoa a entrar e sair da residência. Davi ainda não foi localizado.

O caso segue sendo investigado pela Divisão Especializada de Investigação Criminal (Deic).

Thallita, que havia se mudado para São José do Rio Preto para cursar Medicina na Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp), se formou em 2021, e trabalhava desde então como plantonista em uma Unidade Básica de Sáude (UBS), em Bady Bassitt. 

Em nota, a Famerp lamentou a morte da médica e ex-aluna: “Com pesar, a Diretoria da Famerp lamenta profundamente o falecimento trágico da aluna da turma 49, Thallita Fernandes. Sua partida prematura nos entristece. Nossos sentimentos aos familiares e amigos e colegas neste momento de tristeza e consternação.”.

A prefeitura da cidade onde Thallita trabalhava também publicou uma nota em suas redes sociais, que dizia: "É com imenso pesar que a Prefeitura Municipal de Bady Bassitt recebe a lamentável notícia do falecimento da médica Thalitta da Cruz Fernandes, plantonista na UBS de nossa cidade. Respeitada por todos e admirada pelo profissionalismo, amizade, integridade e pela maestria ao cuidar da população, Dra. Thalitta deixa um legado incontestável e de relevância fundamental para a Saúde do Município."

Matérias Relacionadas