Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,8407 | Euro R$ 5,349
Search

Brasileiro é preso na Bélgica acusado de fazer ‘delivery de drogas’ em prisão de Goiás

Segundo a polícia, o homem utilizava drones para levar entorpecentes e aparelhos celulares para o interior do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 30 de dezembro de 2023 - 13:57
O criminoso estava foragido desde outubro de 2022
O criminoso estava foragido desde outubro de 2022 -

Um brasileiro de 27 anos foi preso de maneira preventiva na Bélgica, após ficar foragido e ter seu nome adicionado na lista de Difusão Vermelha da Interpol. O homem é acusado de tráfico de drogas e associação ao tráfico de drogas, crimes cometidos enquanto ele ainda estava no Brasil. Ele usava drones para cometer seus crimes.

O criminoso já vinha sendo investigado desde agosto de 2022, quando celulares foram apreendidos dentro de celas de detentos no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia (GO). Desde então, após a Polícia Civil de Goiás (PCGO) conseguir a quebra do sigilo de dados concedidos pela Justiça, a organização criminosa que levava drogas e aparelhos celulares para o interior do presídio, passou a ser deflagrada.


Leia mais

Italiano é esfaqueado durante assalto na Zona Sul do Rio

Polícia investiga agressão a cão em SG como vingança


De acordo com informações da polícia, o principal responsável pelas entregas no complexo prisional, as fazia utilizando drones, que carregavam as drogas e os celulares. O criminoso chegou a receber R$30 mil por entrega.

Em outubro de 2022, os investigadores solicitaram a prisão preventiva do suspeito, que na ocasião já havia fugido para a Europa. Com essa informação, a PCGO então defendeu a inclusão do brasileiro na lista de Difusão Vermelha da Interpol, a fim de possibilitar a prisão e extradição do criminoso ao Brasil posteriormente.

A prisão preventiva foi feita no dia 18 de dezembro, pela Polícia Civil de Goiás, em parceria com as polícias Internacional, Federal e Penal de Goiás. Atualmente, o criminoso está passando por um procedimento administrativo para que possa ser extraditado.

Matérias Relacionadas