Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 5,538 | Euro R$ 5,9273
Search

Com Lula, taxa de desemprego atinge menor marca em 10 anos

Em números absolutos, a população desocupada no Brasil totaliza 7,8 milhões de pessoas

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 28 de junho de 2024 - 10:17
A taxa de desocupação no país recuou para 7,1% no trimestre encerrado em maio, a menor taxa para um mês de maio desde 2014
A taxa de desocupação no país recuou para 7,1% no trimestre encerrado em maio, a menor taxa para um mês de maio desde 2014 -

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou hoje (28 de junho de 2024) dados animadores sobre o mercado de trabalho brasileiro. A taxa de desocupação no país recuou para 7,1% no trimestre encerrado em maio, a menor taxa para um mês de maio desde 2014.

Essa queda representa uma melhora significativa em relação ao mesmo período de 2023, quando a taxa era de 8,3%. No comparativo com o trimestre anterior (dezembro a fevereiro de 2024), a redução também foi expressiva, de 0,7 ponto percentual.

Em números absolutos, a população desocupada no Brasil totaliza 7,8 milhões de pessoas, o menor contingente desde fevereiro de 2015. Essa queda representa uma redução de 8,8% no trimestre e de 13,0% no ano.


Leia também: 

Detran.RJ passa a emitir novo modelo de Carteira de Identidade Nacional

Assaí Atacadista oferece vagas de emprego para Niterói e São Gonçalo; Veja!


Os dados positivos não param por aí. A população ocupada no país também registrou crescimento, chegando a 101,3 milhões, com altas em ambas comparações:  1,1% (mais 1,1 milhão de pessoas) no trimestre e 3,0% (mais 2,9 milhões de pessoas) no ano.

Já a população fora da força de trabalho não mostrou variações significativas em nenhuma das duas comparações, permanecendo em 66,8 milhões.

Adriana Beringuy, coordenadora de pesquisas domiciliares do IBGE, afirmou em nota para o infomoney, que o crescimento contínuo da população ocupada tem sido impulsionado pela expansão dos empregados, tanto no segmento formal como informal.

“Isso mostra que diversas atividades econômicas vêm registrando tendência de aumento de seus contingentes. Além disso, há um fator sazonal no crescimento do grupamento de atividades Administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais”, explicou.

Matérias Relacionadas