Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,9834 | Euro R$ 5,4
Search

Bolsonaro se escondeu em embaixada da Húngria, afirma New York Times

A informação, divulgada pelo The New York Times, aponta que o ex-presidente ficou na embaixada por dois dias, acompanhado de seus seguranças

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 25 de março de 2024 - 17:45
Ex-presidente passou duas noites na embaixada da Hungria
Ex-presidente passou duas noites na embaixada da Hungria -

O ex-presidente Jair Bolsonaro passou dois dias na Embaixada da Húngria no Brasil, em Brasília, após ter seu passaporte confiscado pela Polícia Federal. As informações foram divulgadas pelo jornal The New York Times.

Imagens do circuito de segurança mostram o ex-chefe do Executivo nas instalações do prédio no dia 8 de fevereiro, quatro dias depois de ter sido alvo da operação da PF, acompanhado de dois seguranças.


Leia mais

200 anos do Senado: selos alusivos ao bicentenário são lançados nesta segunda

Mauro Cid reafirma conteúdo de delação em audiência no STF


Segundo o NYT, o ex-presidente ficou na embaixada durante os dois dias seguintes, na companhia do embaixador húngaro e de membros da equipe diplomática. Bolsonaro, alvo de diversas investigações criminais, não poderia ser preso em uma embaixada estrangeira, já que o local está legalmente fora do alcance das autoridades nacionais.

Ainda de acordo com NYT, a estadia na embaixada sugere que o ex-presidente estaria tentando se valer de sua amizade com o primeiro-ministro Viktor Orban, da Húngria, numa possível tentativa de escapar da justiça enquanto enfrenta investigações criminais no Brasil.

O NYT analisou imagens de três dias de quatro câmeras na embaixada da Hungria, mostrando que Bolsonaro chegou na noite do dia 12 de fevereiro, e partiu na tarde do dia 14 de fevereiro.

O NYT também verificou as imagens comparando-as com imagens da embaixada, incluindo imagens de satélite que mostravam o carro em que Bolsonaro chegou, estacionado na garagem em 13 de fevereiro.

Um funcionário da embaixada húngara, que falou sob condição de anonimato, confirmou o plano de receber Bolsonaro. O advogado de Bolsonaro e a Embaixada da Hungria não quiseram comentar sobre o caso.

Bolsonaro e Orbán mantêm um relacionamento próximo há anos. Bolsonaro chamou Orbán de seu “irmão” durante uma visita à Hungria em 2022. Mais tarde naquele ano, o ministro das Relações Exteriores da Hungria perguntou a um funcionário do governo Bolsonaro se a Hungria poderia fazer alguma coisa para ajudar a reeleger Bolsonaro, de acordo com o governo brasileiro.

Em dezembro, Bolsonaro e Orbán se reuniram em Buenos Aires na posse do novo presidente de direita da Argentina, Javier Milei. Lá, Orbán chamou Bolsonaro de “herói”.

Matérias Relacionadas