Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 5,1937 | Euro R$ 5,5292
Search

Presidente do PL confessa ter recebido propostas de golpe e cogita lançar Michelle Bolsonaro como candidata à Presidência

Em entrevistas concedidas, Valdemar Costa Neto que haviam cópias de minuta golpista "na casa de todo mundo"

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 27 de janeiro de 2023 - 18:17
Michelle será uma opção para PL caso Bolsonaro não queira se candidatar novamente, afirmou Costa Neto
Michelle será uma opção para PL caso Bolsonaro não queira se candidatar novamente, afirmou Costa Neto -

Michelle Bolsonaro, esposa do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), pode ser a aposta do Partido Liberal para as eleições presidenciais de 2026. Ao menos é o que afirmou o presidente da sigla, Valdemar Costa Neto (PL), em entrevista concedida nesta sexta-feira (27/01) ao portal "CNN".

O político afirmou que a ex-primeira dama é vista como uma possível opção caso Bolsonaro não queira se lançar presidenciável novamente no futuro. "Se Bolsonaro não for candidato, nós temos a Michelle. No lançamento do Bolsonaro no Maracanã [ginásio Maracanãzinho], ela se revelou. Se ele for candidato, será um fortíssimo candidato", declarou Costa Neto.


Leia também:

Bolsonaro pede para ficar mais um mês em casa de lutador, diz jornal

TSE dá 5 dias para Bolsonaro se manifestar sobre postagem


Ele ainda disse que, caso o ex-presidente não retorne, ele pode ser "mais forte ainda, porque esse movimento de direita veio para ficar". Apesar do comentário, o presidente do PL comentou que ainda não conversou sobre a possibilidade da candidatura de Michelle a própria, que retornou ao Brasil também nesta sexta (27/01), após algumas semanas nos EUA.

Em outra entrevista, também realizada nesta sexta (27/01), Costa Neto comentou a minuta com proposta de golpe de estado, encontrada na casa do ex-ministro da Justiça Anderson Torres, preso no dia 14 de janeiro. Ele confessou que recebeu propostas para impedir a posse do presidente eleito, Luís Inácio Lula da Silva (PT), e que haviam cópias da minuta golpista "na casa de todo mundo".

"Nunca comentei, mas recebi várias propostas, que vinham pelos Correios, que recebi em evento político. Tinha gente que colocava [o papel] no meu bolso, dizendo que era como tirar o Lula do governo. Advogados me mandavam como fazer utilizando o artigo 142, mas tudo fora da lei. Tive o cuidado de triturar. Aquela proposta que tinha na casa do ministro da Justiça, isso tinha na casa de todo mundo", revelou o presidente do PL.

Matérias Relacionadas