Bolsonaro se reúne com deputada alemã investigada por ligações neonazistas

Parlamentar é neta de ministro nazista

Escrito por Redação 26/07/2021 16:07, atualizado em 26/07/2021 16:53
Beatrix von Storch e Bolsonaro no Palácio do Planalto
Beatrix von Storch e Bolsonaro no Palácio do Planalto . Foto: Reprodução/Redes Sociais

O presidente Jair Bolsonaro se encontrou, nesta segunda-feira (26), com a deputada alemã Beatrix von Storch, em Brasília. Ela, que é neta de um ministro de Adolf Hitler, líder do nazismo, integra o partido Alternativa para a Alemanha, sigla investigada por propagar ideias neonazista.

Apesar de não estar previsto na agenda oficial, o encontro aconteceu no Palácio do Planalto, sede do governo federal. A parlamentar alemã publicou uma foto em seu perfil no Instagram comemorando a visita ao presidente brasileiro. "Um encontro impressionante no Brasil: gostaria de agradecer ao Presidente brasileiro a amistosa recepção e estou impressionada com sua clara compreensão dos problemas da Europa e dos desafios políticos de nosso tempo", escreveu Beatrix. 

Beatrix é investigada pelo serviço de Inteligência da Alemanha por propagar ideias neonazistas, xenofóbicas e extremistas. Além dela, também participou do encontro seu marido, Sven von Storch. Beatrix é neta de Lutz Graf Schwer, ministro das Finanças do líder nazista Adolf Hitler. 

Na semana passada, Beatrix já havia se reunido com os deputados federais Bia Kicis, presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, e Eduardo Bolsonaro, filho do presidente. O Museu do Holocausto e a Confederação Israelita do Brasil usaram as redes sociais para criticar o encontro.

"Alternativa para a Alemanha é um partido político alemão de extrema-direita, fundado em 2013, com tendências racistas, sexistas, islamofóbicas, antissemitas, xenófobas e forte discurso anti-imigração", disse o Museu do Holocausto em nota no dia do encontro de Beatriz com Bia Kicis. "É evidente a preocupação e a inquietude que esta aproximação entre tal figura parlamentar brasileira e Beatrix von Storch representam para os esforços de construção de uma memória coletiva do Holocausto no Brasil e para nossa própria democracia", comentou o Museu.

"A Conib lamenta a recepção dada a representante do partido Alternativa para a Alemanha (AfD) em Brasília. Trata-se de partido extremista, xenófobo, cujos líderes minimizam as atrocidades nazistas e o Holocausto. O Brasil é um país diverso, pluralista, que tem tradição de acolhimento a imigrantes. A Conib defende e busca representar a tolerância, a diversidade e a pluralidade que definem a nossa comunidade, valores estranhos a esse partido xenófobo e extremista", afirma a Conib.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas