Deputada bolsonarista se encontra com líder de partido alemão com ligações neonazistas

Museu do Holocausto no Brasil demonstrou preocupação com o encontro

Escrito por Redação 22/07/2021 16:27, atualizado em 22/07/2021 17:14
Bia Kicis e Beatrix von Storch se encontraram nesta quinta-feira (22)
Bia Kicis e Beatrix von Storch se encontraram nesta quinta-feira (22) . Foto: Reprodução/Redes Sociais

A deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) se encontrou, nesta quinta-feira (22), com a deputada alemã Beatrix von Storch, do partido Alternativa para a Alemanha (AfD), investigado por propagar ideias extremistas e neonazistas. Beatrix é neta de Lutz Graf Schwerin von Krosigk, ex-ministro que serviu ao líder nazista Adolf Hitler. 

Bia Kicis publicou uma foto em suas redes sociais onde celebrou as semelhanças com a deputada do partido extremista alemão. “Conservadores do mundo se unindo para defender os valores cristãos e a família”, escreveu Kicis, que também é presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ).

A postagem da deputada foi repreendida pelo perfil oficial do Museu do Holocausto no Brasil. "A Alternative für Deutschland (Alternativa para a Alemanha) é um partido político alemão de extrema-direita, fundado em 2013, com tendências racistas, sexistas, islamofóbicas, antissemitas, xenófobas e forte discurso anti-imigração", escreveu o museu.

O perfil do Museu do Holocausto no Brasil também publicou uma série de tweets com histórias sobre a Alemanha nazista e sobre o perfil de Beatrix von Storch. "Vice-líder do partido, famosa por tweets xenofóbicos e neta de Lutz Graf Schwerin von Krosigk, ministro nazista das Finanças e um dos poucos membros do gabinete do Terceiro Reich a servir continuamente desde a nomeação de Hitler como chanceler", escreveu o museu.

O perfil ainda destacou a preocupação com a aproximação da líder extremista alemã com a deputada brasileira.

"É evidente a preocupação e a inquietude que esta aproximação entre tal figura parlamentar brasileira e Beatrix von Storch representam para os esforços de construção de uma memória coletiva do Holocausto no Brasil e para nossa própria democracia", alertou o perfil do Museu.

Em março deste ano, a agência de inteligência da Alemanha colocou o partido de Beatrix von Storch sob vigilância. O AfD teve suas comunicações e movimentos na mira da agência de inteligência alemã, conhecida como Ação Federal para a Proteção da Constituição, que foi criada após a guerra mundial com objetivo de proteger o país da ascensão de líderes com ideias nazistas.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas