Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 5,0497 | Euro R$ 5,4274
Search

Instituto Gingas recebe título de Patrimônio Cultural Imaterial de Niterói

Nesta terça-feira (2) às 18h30min os representantes da instituição vão participar da solenidade de entrega da placa na Câmara dos Vereadores de Niterói

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 02 de abril de 2024 - 10:41
O Instituto Gingas trabalha a capoeira através do método Din Down Down
O Instituto Gingas trabalha a capoeira através do método Din Down Down -

O Instituto Gingas e o método de ensino Din Down Down foram declarados como Patrimônio Cultural Imaterial do Município de Niterói. A chancela aconteceu no início do ano, por meio das Leis 3.874/24 e 3.872/24, do vereador Leonardo Giordano, sancionado pelo prefeito da cidade, Axel Grael.  Nesta terça-feira (2) às 18h30min os representantes da instituição vão participar da solenidade de entrega da placa na Câmara dos Vereadores de Niterói.

O Instituto Gingas trabalha a capoeira através do método Din Down Down, para que todas as pessoas, com deficiência ou sem deficiência possam expressar sua cidadania através da arte e da cultura, como explica o fundador David Bassous, conhecido como Mestre Bujão, criador do método.


Leia também: 

Faetec e Secretaria da Mulher abrem 315 vagas para cursos profissionalizantes para mulheres vítimas de violência

Estado do Rio oferece, nesta semana, quase 3.500 oportunidades de emprego formal, estágio e jovem aprendiz


Bujão também foi contemplado com a Medalha Legislativa Municipal do Mérito Zilda Arns, que em sua concepção é oferecida para pessoas que defendem causas humanitárias, na promoção da paz e na defesa dos direitos da criança.

"Como bons capoeiristas, estamos radiantes em sermos reconhecidos como patrimônio de nossa cidade sede, e convidamos a todos para se juntar a nós e darmos uma rasteira nos preconceitos que impedem a vida plena e inclusiva para todos", comentou Mestre Bujão.

O Instituto Gingas se tornou uma organização não-governamental em 2003 e consolidou-se como Ponto de Cultura, promoveu residências artísticas entre muitas outras atividades. "Ações como essa fortalecem a ideia de um mundo onde as pessoas sejam reconhecidas por suas potencialidades e tenham seus direitos respeitados, sem que isso pareça um favor", frisou o presidente do Instituto, Breno Platais.

Matérias Relacionadas