Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,9892 | Euro R$ 5,4003
Search

Artista venezuelana é encontrada morta no interior do Amazonas

Julieta Inés Hernández Martínez viajava o interior do Brasil de bicicleta e se apresentava para população dos municípios que visitava

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 08 de janeiro de 2024 - 19:22
Julieta estava no Brasil desde 2016
Julieta estava no Brasil desde 2016 -

Julieta Inés Hernández Martínez, artista venezuelana que viajava o Brasil de bicicleta, foi encontrada morta na última sexta-feira (5), enterrada em uma área de mata na cidade de Presidente Figueiredo, no interior do Amazonas, após ficar 14 dias desaparecida.

Também chamada de "Palhaça Jujuba", a vítima tinha 38 anos e foi assassinada por um casal que trabalhava no Espaço Cultural Mestre Gato, lugar em que ela estava hospedada. Seu corpo e partes da sua bicicleta foram encontrados próximo ao local. A jovem estava no Brasil há oito anos e era integrante do "Pé Vermêi", grupo de artistas que viajava o país pedalando.

Thiago Agles da Silva e Deliomara dos Anjos Santos confessaram a autoria do crime e foram presos na noite da última sexta-feira (5). No entanto, os depoimentos são conflitantes.


Leia também: 

Aqui tem história: Único presidente negro e 'dono das ruas', quem foi Dr. Nilo Peçanha?

Rainha de bateria perde voo para África após ser submetida a inspeção da PF em Guarulhos


Segundo Deliomara, ela matou a venezuelana após ver o rapaz estuprando a vítima e ter uma crise de ciúmes. Antes disso, Thiago teria ameaçado, enforcado, roubado e arrastado Jujuba para fora do local. Contudo, Thiago tem uma versão diferente dos fatos. De acordo com o criminoso, ele e Julieta estavam usando drogas quando Deliomara, ao avistar os dois juntos, sentiu ciúmes e matou a vítima. A dupla será indiciada por estupro, latrocínio e ocultação de cadáver.

Julieta estava rodando o Brasil em rota para voltar para Venezuela, por desejo de se reencontrar com a mãe. Sua próxima parada seria em Rorainópolis, no estado de Roraima.

O caso causou revolta nos seguidores de Julieta, que lamentaram a perda da cicloviajante. A deputada estadual do Rio de Janeiro Renata Souza chamou a situação de "brutalidade", e diz que o Estado falhou em proteger a artista. "Infelizmente, a brutalidade de um feminicídio interrompeu mais uma vida. Julieta estava desaparecida desde o dia 23 de dezembro e, infelizmente, foi encontrada morta. Nosso país não foi capaz, mais uma vez, de garantir a segurança e a integridade de uma mulher. Falhamos muito", escreveu.

"Ela era um artista, migrante, venezuelana, feminista, palhaça, dedicada a tirar sorrisos das pessoas. Uma mulher de coragem e de empatia. Minha solidariedade e carinho aos familiares e amigos de Julieta Martínez nesse momento tão difícil. Que os culpados sejam devidamente responsabilizados!", finalizou.

Matérias Relacionadas