Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,8259 | Euro R$ 5,3596
Search

‘Nevou’ em SG: a moda que ganha cada vez mais adeptos chega junto com o verão

A mania de descolorir o cabelo até que os fios fiquem completamente brancos tem tomado conta da cabeça de homens de diferentes idades e classes sociais

relogio min de leitura | Escrito por Lívia Mendonça | 24 de dezembro de 2023 - 08:16
A moda do "nevou" tem conquistado cada vez mais homens
A moda do "nevou" tem conquistado cada vez mais homens -

Nascida nas comunidades e nos subúrbios cariocas, a tendência conhecida como "nevou" ultrapassou fronteiras geográficas, sociais e etárias, principalmente depois de ganhar as redes sociais e de ter conquistado artistas e atletas que são referências no mercado.

O fenômeno, que antes começava a ser visto pelas ruas com o início do carnaval, hoje ganha adeptos desde a véspera de Natal, passando por todas as festividades de fim de ano.


Leia mais

Natal e Família: A maior tradição natalina é estar com quem se ama

Papais Noéis: conheça os profissionais que fazem a alegria das crianças no Natal


A novidade deste ano é que a descoloração global substituiu o amarelado, em um tom mais para o louro, feito com água oxigenada e amônia, quase sempre em casa, por conta própria. Agora estão sendo usados produtos como pó descolorante, tinta branca e matizador, de resultado melhor e mais duradouro, que demandam ajuda profissional.

O principal público-alvo dessa moda segue sendo masculino
O principal público-alvo dessa moda segue sendo masculino |  Foto: Layla Mussi

O principal público-alvo dessa moda segue sendo masculino e em São Gonçalo a tendência do verão segue atingindo uma grande variedade de clientes. O barbeiro gonçalense Jheysen Lima, de 35 anos, proprietário da 'Barbearia Du Lima' e profissional desse ramo há 10 anos, garante que o processo que leva ao "nevou" tem evoluído cada vez mais, com novas técnicas, produtos e a valorização da importância de um profissional especializado para realizar o trabalho.

"Essa moda de descolorir o cabelo já tem um bom tempo, posso até arriscar que começou um pouco antes de 2015, onde era conhecido como o famoso "loiro pivete". Não era o 'nevou', era um loiro amarelado, gema de ovo, que virava tendência na época de carnaval", contou o barbeiro.

Com a evolução das técnicas e dos produtos, o processo, que demora em média 1h30 a 2h, dependendo da individualidade de cada cabelo, foi ganhando cada vez mais adeptos, com a moda iniciando cada vez mais cedo também.

"Quando começou o loiro pivete, era uma coisa mais restrita as pessoas de comunidade. Com o passar do tempo, que veio a onda do "nevou", isso mudou. Pessoas de classe média alta também vem fazer e isso tem se estendido até mesmo para a barba, o que é uma novidade. A maior parte desse novo público vem no período de fim de ano, diferente do que era antes, onde era mais voltado para o carnaval", afirmou o proprietário Jheysen Lima.

Pela segunda vez entrando para a moda do "nevou", o cliente Jeferson Ferreira da Silva, de 43 anos, chegou na Barbearia Du Lima no fim da tarde para passar por todo o processo de descoloração do cabelo.

"É a moda né, já é a segunda vez que eu faço, mas a primeira aqui na Du Lima. Meus colegas já fizeram também e eu costumo fazer paro o ano ano novo e refaço no carnaval", disse o cliente.

Passo a passo para o "nevou"

O processo tem inicio com o cuidado com o couro cabeludo de cada cliente, sendo passados talco ou óleo, para preparar o couro cabeludo para receber os produtos seguintes.

A moda, que antes era vista no período de carnaval, hoje engloba toda a época das festividades de fim de ano
A moda, que antes era vista no período de carnaval, hoje engloba toda a época das festividades de fim de ano |  Foto: Layla Mussi

"Depois disso é importante comprar um bom produto para poder passar no cabelo do cliente. Faz a primeira demão de descoloração, depois retira o produto e faz a segunda parte, novamente a descoloração. Eu gosto de passar uma tinta que puxa mais para o prata, ficando aquele branco prateado mesmo. E no final a gente utiliza o matizador, lavando, passando um bom creme no cabelo, porque da uma boa ressecada. O processo de cuidado é para manter o branco, de três em três dias o cabelo volta a ficar um pouco amarelado, então aconselho passar o matizador, para estar sempre mantendo ele branco", contou o proprietário da Du Lima.

Resultado do processo do "nevou" na Du Lima Barbearia
Resultado do processo do "nevou" na Du Lima Barbearia |  Foto: Layla Mussi

Sobre a Du Lima

Inaugurada no bairro São Miguel, em São Gonçalo, há cerca de 6 meses, a Du Lima Barbearia é a concretização do sonho do barbeiro Jheysen Lima, 35 anos, que é casado e pai de dois filhos.

O barbeiro Jheysen Lima, 35 anos, é casado e pai de dois filhos
O barbeiro Jheysen Lima, 35 anos, é casado e pai de dois filhos |  Foto: Layla Mussi

"Foi a junção da dificuldade de conseguir um emprego com o surgimento de uma oportunidade que me fizeram entrar nesse ramo. Eu já cortava o cabelo de amigos, foi quando da minha mãe e o ex-namorado dela me incentivaram e pagara um curso para mim. Comecei cortando cabelo na garagem da casa da minha mãe, na Brasilândia, fiz o curso e a partir dali fui crescendo na profissão, me especializando", contou o barbeiro.

Criatividade e planos futuros

Neste Natal, Jheysen Lima tem equilibrado o trabalho como barbeiro com a transformação em Papai Noel, como forma de cativar as crianças que vão até a barbearia.

"Nesse Natal, aos sábados, eu tenho me vestido inteiro de Papai Noel, que é um dia que as pessoas tem mais tempo de trazer os seus filhos para cortar o cabelo. Isso chama atenção não só das crianças como de outros clientes também. Tenho clientes autistas que também se sentem acolhidos com esse diferencial de serviço", disse.

Jheysen Lima tem se vestido de Papai Noel, aos sábados, para cativar as crianças
Jheysen Lima tem se vestido de Papai Noel, aos sábados, para cativar as crianças |  Foto: Layla Mussi

"Para o próximo ano estou procurando oferecer ainda mais comodidade para os clientes da Du Lima, estabelecendo uma barbearia por assinatura de uma forma diferente, com um DNA só meu", afirmou o barbeiro.

Sob supervisão de Marcela Freitas 

Matérias Relacionadas