Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar up 5,0950 Euro down 5,2397
Search

Ato contra intolerância religiosa em Itaboraí reuniu 4 mil pessoas

Os manifestantes foram ouvidos pela Prefeitura do município

relogio min de leitura | Escrito por Ana Carolina Moraes | 23 de maio de 2022 - 07:45
O ato ocorreu neste domingo (22)
O ato ocorreu neste domingo (22) -

A manifestação realizada em Itaboraí, nesta manhã de domingo (22), indo contra a intolerância religiosa que atinge religiões de matriz africana foi um sucesso. O grupo Axé em Luta, que organizou o ato, foi ouvido e conseguiu fazer com que a Prefeitura do município prometesse uma semana de eventos voltados para as religiões de matrizes africanas em Itaboraí. A estimativa é de que o ato deste domingo contou com 4 mil pessoas na Praça Marechal Floriano Peixoto. 

O ato foi necessário após uma fala de intolerância exposta pelo pastor Felippe Valadão durante um show de aniversário de 189 anos da cidade, que ocorreu nesta semana. O pastor  teria dito: “De ontem para hoje tinha quatro despachos aqui na frente do palco. Avisa aí para esses endemoniados de Itaboraí: o tempo da bagunça espiritual acabou, meu filho. A igreja está na rua!!! A igreja está de pé!!!”. Felippe é pastor e é cantor de música gospel.

Explicando mais sobre a emoção da manifestação de hoje, o babalorixá do terreiro Axê Aldeia, Diego T' Ossoguian, falou com O SÃO GONÇALO

"Nosso grito de guerra durante o ato foi Axé em Luta. Durante o nosso ato, o prefeito de Itaboraí Marcelo Delaroli chamou uma parte da nossa equipe e conversou com ela prometendo uma semana de eventos voltados para as religiões de matriz africana na cidade, que provavelmente deve ocorrer em julho, quando será comemorado no município o Dia Municipal de Combate a Intolerância Religiosa. Os eventos serão patrocinados pela prefeitura. O órgão também disponibilizou o gabinete para tratar temas do tipo, prometeu criar um conselho das matrizes africanas no município e afirmou repudiar atitudes de intolerância religiosa", afirmou ele. 

Diego afirmou ter se sentido acolhido pelo órgão. "Me senti ouvido e com as religiões de matriz africana sendo incluídas nos serviços públicos da cidade. Quero agradecer também ao subsecretário de Cultura, Alan Mota, que foi uma chave para esse processo", afirmou ele. 

O ato contou com cartazes e carros de som. Ainda durante o ato, ocorreu um desfile, para celebrar o aniversário da cidade, próximo da Prefeitura do município. Os manifestantes foram convidados pelo órgão público para participar e protestar durante uma parte do desfile. 

Procurada para um pronunciamento oficial sobre o ato, a Prefeitura Municipal de Itaboraí ainda não se manifestou. 

Anteriormente, o órgão afirmou que as declarações dos convidados e artistas para as apresentações “são de inteira responsabilidade deles”. “A prefeitura destaca ainda que o governo é para todos, que repudia qualquer manifestação de intolerância religiosa e ressalta que o Estado é laico", disse.

O grupo Axé em Luta ajudou a organizar o ato
O grupo Axé em Luta ajudou a organizar o ato |  Foto: Arquivo pessoal
 

Matérias Relacionadas