Após acidente com Rodrigo Mussi, médicos alertam sobre a importância do cinto de segurança

Acidentes de trânsito estão entre as principais causas de politraumatismos

Escrito por Redação 01/04/2022 12:01, atualizado em 01/04/2022 12:23
A não utilização de cinto de segurança é ainda maior quando se trata de passageiros no banco traseiro
A não utilização de cinto de segurança é ainda maior quando se trata de passageiros no banco traseiro . Foto: Divulgação

O ex-BBB Rodrigo Mussi sofreu grave acidente de carro na quinta-feira (31) e teve fraturas expostas na perna, precisando passar por cirurgia. Rodrigo estava em veículo de aplicativo, não utilizava cinto de segurança e teria sido arremessado para a frente do automóvel.

Acidentes de trânsito estão entre as principais causas de politraumatismos, situação com grandes chances de óbitos e elevada taxa de lesões irreversíveis quando a vítima sobrevive, alerta a Sociedade Brasileira de Trauma Ortopédico (TRAUMA).

 

Rodrigo é ex-BBB
Rodrigo é ex-BBB | Foto: Divulgação
 


“No caso de uma batida, um corpo solto em um automóvel mantém a mesma velocidade que estava até encontrar uma barreira. Com isso, sem o cinto, em uma batida a 60 km/h, essa será a velocidade com que uma pessoa atinge o para-brisa”, ressalta o presidente da Sociedade Brasileira de Trauma Ortopédico (TRAUMA), Dr. Vincenzo Giordano Neto.

A não utilização de cinto de segurança é ainda maior quando se trata de passageiros no banco traseiro. A partir de sete anos e meio, crianças também devem usar o cinto. “As pessoas têm a falsa sensação de segurança que o banco traseiro proporciona, porque imaginam que estão protegidas pelos bancos dianteiros e que estão longe do para-brisa. Porém, a força que uma pessoa recebe em uma batida é algo em torno 35 vezes o seu peso. Com um impacto tão grande, não há banco que possa pará-la e o que acontece é o passageiro de trás esmagando a pessoa sentada à frente e se lesionando gravemente”, explica.

O especialista salienta que é importante lembrar que nem sempre o acidente é uma colisão frontal. “No caso de batidas laterais e capotamentos, o cinto de segurança também protegerá os ocupantes de serem arremessados contra si, em direção a alguma parte do carro ou até mesmo para fora do veículo”, pontua.


Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas