Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down Euro down
Search

Solidariedade: Associação Beneficente do Laranjal precisa de voluntários para continuar funcionando

A atual presidenta da grupo falou sobre a difícil situação da associação

relogio min de leitura | Escrito por Ana Carolina Moraes | 15 de fevereiro de 2021 - 14:25
Imagem ilustrativa da imagem Solidariedade: Associação Beneficente do Laranjal precisa de voluntários para continuar funcionando

Desde 2002, a Associação Beneficente Amparo à Vida (ABAV), localizada no Laranjal, em São Gonçalo, vem buscando auxiliar os moradores da cidade. Com objetivos como doar roupas, sapatos, remédios e até mesmo materiais hospitalares para os mais necessitados, o coletivo agora precisa de empreendedores sociais que se voluntariem para cumprir funções que ajudem na divulgação da associação para que alcance mais gonçalenses. Marlene do Socorro, de 56 anos, a atual presidenta e fundadora do coletivo, explica que, sem a ajuda, ela sente dificuldade em realizar os projetos do grupo.

"Eu quero que o nosso trabalho se multiplique e que, se acontecer algo comigo, a semente se espalhe. Hoje, não temos condições de pagar ninguém e a ajuda tem que ser voluntária, mas, no futuro, com a nossa conta da associação regularizada, pretendemos investir também nessa parte financeira", contou Marlene. 

A associação, que dá assistência para 68 famílias no município, trabalha doando cestas básicas para os mais necessitados, além de remédios e outros produtos que consegue por doação, mas, sem um motorista, a situação se complica. 

"Fazemos palestras com o apoio da Enel sobre energia segura, além de palestras e outras ações e recebemos também muitas roupas e produtos de pessoas que não precisam mais daquilo, só que estamos com dificuldade de repassar isso para a frente sem um motorista. Na última semana, joguei remédios fora, pois passaram da validade. Uma outra pessoa estava precisando ser levada ao hospital e, eu até dei entrada na prefeitura para conseguir esse suporte, mas não deu tempo e a paciente morreu, por isso, com um motorista conseguiríamos resolver isso mais rápido. Queremos também alguém que divulgue o nosso bazar online, por exemplo", contou Marlene. 

Dentre as funções que a ABAV necessita estão: Marketing Publicitário, Psicologia, Serviço Social, Pedagogia, Elaboração de Projetos, Captação de Recursos, dentre outros.

Para quem deseja ajudar o projeto e quer se tornar voluntário, basta entrar em contato com Marlene pelo número (21) 96466-1571. 

Doações financeiras e de tampas de garrafas 

A Associação Beneficente Amparo à Vida (ABAV) sofreu com um problema de atas, como noticiado pelo O SÃO GONÇALO no ano passado. E, apesar de a situação ter sido resolvida, a ABAV ainda sente os efeitos posteriores desse problema. Hoje, a associação não possui uma conta bancária para receber e dar doações financeiras.

Desde 2015, Marlene não tinha um contador em sua associação e, por isso, ela não conseguia fazer a Declaração Simplificada da Pessoa Jurídica (DSPJ - Inativa), provando que a associação não tinha nenhuma atividade financeira nesses anos. A partir daí, a associação passou a ter uma conta com a Receita Federal. Atualmente, o valor da dívida chega a R$ 2.500. 

Para desbloquear a conta bancária, a ABAV precisa pagar esse valor. "Não adianta eu ter pessoas que querem estar na próxima diretoria, se não consigo ter uma conta para ajudar nos projetos e no pessoal que ajuda", contou a fundadora do projeto. 

Quem puder ajudar no caso, basta doar qualquer valor para a conta abaixo: 

Agência 6078 

Conta corrente 22473-7

Itaú 

CPF: 795827457-20

Marlene do Socorro Gomes de Souza 

A associação também pede que aqueles que puderem doem latinhas de garrafas plásticas e lacres de latinhas, pois, a ABAV doa estes recicláveis e consegue arrecadar um valor financeiro para ajudar a manter o grupo funcionando.

Sobre a ABAV

A Associação Beneficente Amparo à Vida foi criada em 2002, por Marlene do Socorro e Paulo Amparo, o último, posteriormente, se afastou do coletivo. Hoje, a ABAV ajuda deficientes físicos explicando seus direitos sociais, além de doar cadeiras de rodas e outros produtos hospitalares. Para a sociedade num geral, o coletivo doa remédios, roupas e etc. 

A ABAV vive hoje de doações e de um bazar, ainda pouco divulgado. Apesar disso, Marlene relatou que o último apoio financeiro para a associação foi em agosto de 2020, no valor de R$ 30 reais, por isso, está difícil arcar com o custos. A fundadora ficou desempregada recentemente, o que piorou o caso. 

A ABAV também é a responsável por realizar palestras e ações sobre consumo eficiente de energia, além de informar, através de cartilhas, sobre programas governamentais importantes para a população. 

Atualmente, a associação se localiza na Avenida Júlio Lima, no número 1165, atrás do Colégio Municipal Estephânia de Carvalho, no Laranjal, em São Gonçalo. Para quem quiser saber mais, o Facebook do grupo é @socialabav.

Matérias Relacionadas