Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 4,9892 | Euro R$ 5,4003
Search

Atleta de taekwondo de projeto social de São Gonçalo garante vaga Olímpica ao Brasil

Projeto Energia para Vencer já é referência no esporte de alto rendimento

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 18 de janeiro de 2024 - 11:42
Milena Titoneli
Milena Titoneli -

A equipe mista de taekwondo do Brasil garantiu no último mês,  vaga na Olimpíada de Paris-2024 na disputa da etapa final da Copa do Mundo, em Wuxi, na China. O mérito da medalha de bronze na disputa mista tem na equipe uma atleta de ponta do projeto 'Energia pra Vencer': Milena Titoneli.

Um dos maiores nomes do esporte atualmente, Milena de apenas 25 anos, e natural de São Caetano do Sul, em São Paulo, mas desde março de 2023 realiza os treinos diariamente no Sesi de São Gonçalo junto com outros 19 atletas. O projeto olímpico “Energia para Vencer” tem a proposta de deixar um legado esportivo e social para jovens atletas nas modalidades Judô, Natação e taekwondo oferecendo bolsa-auxílio a atletas de alto rendimento, preparando-os para as maiores competições nacionais e internacionais.

Leia mais: 

Flamengo goleia Audax na estreia da equipe na Taça Guanabara

“Os jogos olímpicos são o maior sonho de qualquer atleta que pratica um esporte olímpico. Representar o Brasil também é um dos maiores sonhos que qualquer atleta brasileiro pode ter. Trazer essa classificação para o nosso país foi a realização de dois sonhos ao mesmo tempo e fico muito feliz e orgulhosa em contribuir para o crescimento do taekwondo brasileiro. É sempre uma honra representar a nossa bandeira”, explica Milena.

Além da bolsa, os atletas envolvidos no projeto têm acesso a uma academia personalizada com estrutura diferenciada para o desenvolvimento esportivo; custeio de hospedagem, transporte, taxas e inscrições para participações em competições nacionais e internacionais além de acesso a equipe multidisciplinar composto por preparador físico; nutricionista; fisioterapeuta; dentista; psicólogo; treinador; fisiologista; custeio de hospedagem, transporte, taxas e inscrições para participações em competições nacionais e internacionais.

Com menos de um ano de execução, o projeto Energia para Vencer já vem chamando atenção nos bastidores olímpicos, com toda infraestrutura oferecida aos seus atletas. Nos Jogos Pan-Americanos de 2023, realizado na cidade de Santiago, no Chile, entre os dias 20 de outubro e 5 de novembro, o projeto teve 6 atletas convocados para a competição: Rafaela Silva (Judô); Gabrielle Assis da Silva (Natação); Paulo Ricardo Souza de Melo (Taekwondo); Henrique Marques Rodrigues Fernandes Taekwondo); Gabriele Cristina Ribeiro de Siqueira (Taekwondo); Edival Marques Quirino Pontes (Taekwondo), conquistando 5 medalhas: 3 de ouro, 1 de prata e uma de bronze.

O gestor do Energia para Vencer conta que os resultados alcançados no curto período de trabalho foram além das expectativas. “Estamos alcançando resultados incríveis. Temos uma estrutura de primeiro mundo, um alto investimento, e o apoio da Enel é de extrema importância para colocar o Brasil na briga com as grandes potências mundiais. Isso mostra que se mais empresas investissem em projetos sérios, o Brasil se torna imbatível. Temos muitos talentos que precisam de apoio”, disse Felipe Espose.

Com menos de um ano de execução, o projeto Energia para Vencer já vem chamando atenção nos bastidores olímpicos, com toda infraestrutura oferecida aos seus atletas
Com menos de um ano de execução, o projeto Energia para Vencer já vem chamando atenção nos bastidores olímpicos, com toda infraestrutura oferecida aos seus atletas |  Foto: Divulgação

O "Energia para Vencer", que tem como madrinha a judoca Rafaela Silva, é  patrocinado pela ENEL Distribuição Rio, e integra o projeto socioesportivo Craque do Amanhã que atende mais de 2500 famílias nas cinco unidades presentes atualmente em São Gonçalo, Caxias, Belfort Roxo e Santa Izabel, em São Paulo e  tem como padrinhos os jogadores de futebol Ibson, Vagner Love, Éverton Ribeiro, Paulo Henrique Ganso e a atriz Juliana Paes.

Além do apoio aos 20 atletas de alto rendimento, o projeto ainda atende cerca de 50 crianças com transtorno do espectro autista (TEA), através de atividades psicomotoras. Além disso, jovens que fazem parte do projeto Craque do Amanhã recebem aulas de reforço escolar de matemática, português e oficinas de robótica através da Firjan SESI e cursos de qualificação profissional, por intermédio da Firjan SENAI. A intenção é ampliar as oportunidades de inserção dos estudantes no mercado de trabalho.

Matérias Relacionadas