Fiocruz faz visita a laboratório de entomologia de Itaboraí

Espaço é integrado à Secretaria Municipal de Saúde

Enviado Direto da Redação
Município conta com aproximadamente 200 agentes de endemias

Município conta com aproximadamente 200 agentes de endemias

Foto: Divulgação


O laboratório de entomologia de Itaboraí, que é integrado a Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Subsecretaria de Vigilância em Saúde e o Programa Municipal de Controle da Dengue, localizado na unidade do Departamento de Estrada Rodagem (DER), foi selecionado entre diversos municípios, como o melhor do Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para realizar pesquisas de campo e desenvolvimentos técnicos.


O coordenador do Programa Municipal de Controle da Dengue, Adriano de Paula, relatou que esta é uma importante oportunidade para a cidade. “O projeto que a Fiocruz tem, tanto no Rio de Janeiro como em parceria com outros países, colaboram para produção de conhecimentos a respeito da Saúde e outros. Nosso maior objetivo aqui no laboratório e gerar um impacto positivo através de pesquisa e controle dos insetos como aedes aegypti, aedes albopictus e aedes fluviatis”, afirmou Adriano.


Os pesquisadores da IOC/Fiocruz, Ademir Martini, Carlúcio Santos e Luciano Cosme da IOC/da Universidade de Yale dos Estados Unidos estiveram presentes ao laboratório, em seguida acompanharam os agentes de endemias a diversos pontos da cidade realizando estudo endêmico da evolução do mosquito no município. “Isto reforça a importância e valorização das equipes de endemias. Outro ponto relevante é a capacitação técnica continuada e o trabalho integrado”, disse o Ademir Martini, pesquisador IOC/Fiocruz.


Itaboraí conta com aproximadamente 200 agentes de endemias, do Programa Municipal de Controle da Dengue, que realizam visitas domiciliares e recuperação de imóveis em pendência, com colocação de larvicidas. E ainda conta com um laboratório que realiza estudo, controle, catalogação e vigilância de vetores.


De acordo com a laboratorista, Verônica Anderson, a melhor forma de combater previamente os mosquitos que transmitem os vírus da Dengue, Zika e Chikungunya é evitando a proliferação. O Projeto piloto que está em sua 3ª fase visa desenvolver estudos relacionados a espécimes de insetos. E ainda pesquisa a genética do mosquito no Brasil.


Veja também