Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar up 5,1665 Euro down 5,2456
Search

Filho adotivo de Flordelis alega que conteúdo da carta assumindo o crime era falso

Lucas Santos revelou em depoimento que o conteúdo da carta que recebeu tinha letra e assinatura de Flordelis

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 18 de dezembro de 2020 - 20:47
Esta foi a terceira vez em que Lucas Santos negou o conteúdo da carta, conforme diz o advogado Ângelo Máximo, assistente de acusação.
Esta foi a terceira vez em que Lucas Santos negou o conteúdo da carta, conforme diz o advogado Ângelo Máximo, assistente de acusação. -

Nesta sexta-feira (18), Lucas Santos, filho adotivo de Flordelis e um dos réus no processo que julga o assassinato do pastor Anderson do Carmo, contou sua versão em depoimento na 3 ª Vara Criminal de Niterói, em relação a carta que havia escrito de próprio punho dentro da cela, onde confessava que foi o autor do crime do pastor, a mando de Mizael e Luan.

De acordo com o depoimento, a carta era falsa. Lucas revelou que havia recebido uma carta de Flávio, filho biólogo de Flordelis que também está preso acusado pelo assassinato, com o conteúdo que deveria copiar de próprio cunho e assinar. Ele afirma que a letra composta na carta enviada a ele, era a de Flordelis e a assinatura também. Flordelis, que também foi ouvida nesta sexta-feira (18), é acusada de ter sido a mandante do crime do pastor Anderson do Carmo.

“O Flávio que me orientou a copiar essa carta e ela foi entregue a mim pelo policial Marcos Siqueira, que também estava preso na mesma ala do Bangu 9. Ele era o faxina da ala e tinha acesso às celas. Ele me entregou a carta por orientação do Flávio e ficou de buscar depois que eu copiasse”, relatou Lucas.

Esta foi a terceira vez em que Lucas Santos negou o conteúdo da carta, conforme diz o advogado Ângelo Máximo, assistente de acusação. Ainda segundo o advogado, a negativa somada a afirmação de que o teor da carta original continha a letra e assinatura de Flordelis, é uma das evidências que indicam a participação de Flordelis como a mandante do assassinato.

A esposa do policial Marcos Siqueira, Andreia Santos Maia, negou qualquer envolvimento sobre enviar a carta, supostamente escrita por Flordelis, para que Lucas pudesse copiar para o interior do presídio. De acordo com o relato de Andreia, a carta entrou na penitenciária através dos advogados de Flávio, que tinham trânsito livre na unidade prisional e acesso a Flávio e Lucas. “"Eles tinham bom relacionamento com o chefe da segurança. E, inclusive, poderiam entrar sem serem registrados na portaria unificada. Coisas estranhas acontecem na Seap (Secretaria de Administração Penitenciária)", contou.

O fim do julgamento aconteceu cerca de 19h, e terá retorno no dia 22 de janeiro. Antes de deixar o fórum, Flordelis afirmou ser inocente: “Eu só quero a verdade e ela vai aparecer nessa história, nem que eu tenha que buscar ajuda no exterior. A mais prejudicada nisso tudo fui eu, que perdi um marido, um amigo, um parceirão, uma articulador”, contou Flordelis, referindo-se ao pastor Anderson do Carmo.

Matérias Relacionadas