Miliciano que integrava o 'Escritório do Crime' foi capturado

Cacau possui mandados de prisão pelos crimes de homicídio qualificado

Enviado Direto da Redação
Cacau foi preso em flagrante com uma pistola e dois carregadores

Cacau foi preso em flagrante com uma pistola e dois carregadores

Foto: Divulgação


Na tarde desta quinta-feira (19) agentes da 38ª DP (Brás Pina) prenderam Rodrigo Padilha de Souza, conhecido como ‘Cacau’, chefe da milícia da comunidade do Quitungo, em Brás de Pina, Zona Norte do Rio. Padilha também é suspeito de participar do grupo ‘Escritório do Crime’, envolvendo um grupo de milicianos que atua na Zona Oeste.

De acordo com policiais, Cacau foi preso em flagrante com uma pistola e dois carregadores no bairro de Bonsucesso, tendo mandados de prisão pelos crimes de homicídio qualificado. A Polícia Civil havia comunicado no dia 30 de junho desse ano, que as investigações apontavam que o ‘Escritório do Crime’ cobrava entre cerca de R$ 1 milhão e R$ 1,5 milhão por execução. As vítimas, tidas como alvos da quadrilha, eram vigiadas por drones e podiam demorar até sete meses.

O grupo de criminosos era integrado por policiais, ex-policiais e milicianos, que foram apontados como foco na Operação Tânatos, deflagrada pela Polícia Civil e o Ministério Público do Rio (MPRJ).

Um dos principais alvos dos integrantes do grupo era Leonardo Gouvêa da Silva, o ‘Mad’, que foi preso em Vila Valqueire, Zona Oeste do Rio. Seu irmão Leandro Gouvêa da Silva, conhecido como ‘Tonhão’, também foi encontrado e preso. Os participantes que ainda estão sendo procurados são: João Luiz da Silva, o Gago e Anderson de Souza Oliveira, o Mugão, todos sendo ex-PMs.

Veja também