Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down 5,0666 Euro down 5,2007
Search

Motorista é morto por PM em briga num posto de gasolina; Veja vídeo!

Confira o relato completo da viúva do motorista de aplicativo!

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 18 de novembro de 2020 - 11:47
O crime ocorreu na última terça-feira (17)
O crime ocorreu na última terça-feira (17) -

Por Ana Carolina Moraes*

Imagens de câmera de segurança do posto localizado em Pendotiba, bairro de Niterói, registraram o momento em que o motorista de aplicativo Diego Sampaio, de 37 anos, é baleado por um policial militar. Diego morreu após ser atingido no abdômen por um tiro, disparado pelo revólver de um PM. O crime ocorreu na última terça-feira (17). Ele chegou a ser socorrido, mas morreu no hospital. 

Segundo a esposa da vítima, o crime ocorreu após o PM ter tratado com grosseria o frentista do posto. 

"Vimos o frentista falando com ele e ele respondeu de forma arrogante, falando que o problema era dele. Nisso o gerente chegou e ficou uma confusão horrível. A gente estava saindo e eu falei que ele estava atrapalhando as pessoas. Ele começou a xingar e saiu do carro, mas em momento nenhum eu vi arma na mão dele. Nisso, meu esposo saiu do carro e foi ao encontro dele. Mas não teve tempo de reagir, de nada. Ele já foi atirando. Um pegou no chão e o outro no abdome do Diego. Eu ainda me joguei na frente", contou a viúva Hellen Cristina, técnica de enfermagem. 

Segundo imagens, o PM, que estava sem farda, se localizava dentro de seu carro no posto quando o carro de Diego passa e para um pouco mais na frente. Nesse momento, a mulher que estava junto com Diego desce do carro e anda na direção do policial. O PM então sai de seu carro com a arma já na mão. Diego resolve intervir, correndo em direção do PM. O motorista de aplicativo é baleado no abdômen. 

As imagens confirmam parcialmente a dinâmica relatada pela viúva, mas o PM informou que atirou após Diego desobedecer sua ordem de parada.  

"Não houve ordem. Ninguém nem sabia que ele era policial naquele momento. Ele não atirou para o alto, atirou para atingir. Em momento algum ele mandou parar. Tanto que se mandasse parar ele não atirava para matar. Porque ele não era vagabundo para morrer desse jeito. Se fosse bandido ele não teria feito isso", disse Hellen. 

Quando questionada sobre o que falaria para o policial, ela foi enfática. "Eu só espero que ele não tenho filhos. Por que eu não sei nem como contar para minha filha que ela perdeu o pai dela. Que ele nunca sinta essa dor que eu estou sentindo. Que minha filha de oito anos perdeu o pai. Um pai excelente, marido excelente. Apaixonado pela filha, pela família. Que Deus abençoe a vida dele, eu não guardo rancor, não guardo nada, porque aqui se faz, aqui se paga. Deus que vai cobrar dele, eu não preciso cobrar nada."

Em nota, a PM confirmou que o tiro que matou Diego veio do PM. O corpo de Diego já está sendo liberado do Instituto Médico Legal (IML), e será sepultado na tarde desta quarta-feira (18), às 17h, no Cemitério Parque Nicteroy. 

Agentes da Divisão de Homicídios investigam o caso.

*Estagiária sob supervisão de Renata Sena

Matérias Relacionadas