Portal dos Procurados pede informações sobre envolvidos em grupo paramilitar

Esta milícia atua em Duque de Caxias

Enviado Direto da Redação

Foto:

Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, representada pela Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense –DHBF -, em conjunto com o Ministério Público do Estado por meio do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado – GAECO - fizeram uma operação na manhã da última quinta-feira (8), denominada ”Operação Próspera”, que visou  cumprir 25 mandados de prisão preventiva e 21 mandados de busca e apreensão para desarticular uma organização criminosa – Milícia -  com atuação no município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. 


O Portal dos Procurados, visando auxiliar a Delegacia de Homicídios da Baixada – DHBF – está divulgando nesta quarta-feira, dia 14/10, um cartaz para ajudar na localização e na consequente prisão dos seguintes criminosos que ainda se encontram em liberdade, depois da operação, são eles: Alex Júnior Marcelino do Nascimento, de 26 anos; Cleber Luiz da Silva, de 18; Davidson Sanches Melo, o Moranga, de 23; Carlos de Sousa Martins, o CL, de 39 e Leandro dos Santos Moura, o Cagão, de 31 anos. Os cincos já são considerados foragidos da Justiça. 


A operação foi coordenada pelo Delegado Titular da DHBF, Drº Uriel Alcântara Machado, que presidiu a investigação na 60ª DP (Campos Elíseos) durante o período de janeiro/2019 a junho/2020, identificando integrantes da milícia com atuação nos bairros de Saracuruna, Vila Urussaí e Jardim Primavera, responsáveis por diversos homicídios, extorsões a moradores, comerciantes, mototáxis e transporte alternativo de van, explosões a caixas eletrônicos, sequestros, entre outros crimes, impondo verdadeiro terror a população local. 


No curso da investigação a colheita de provas foi implementada, dentre outras formas, por diversas diligências resultando na prisão de 31 prisões de milicianos até junho/2020, em flagrante delito ou por força de mandado de prisão contra foragidos por crimes cometidos e investigados anteriormente. 


Ao longo do segundo semestre de 2019, sobretudo com a fragilização do grupo que dominava a área após tais prisões, surgiu um conflito entre grupos de milicianos rivais que passaram a disputar sangrentamente o domínio do território com homicídios, vitimando inclusive inocentes, sob ordens de criminosos de dentro do presídio e o apoio de milicianos de outras regiões, a exemplo das comunidades do Quitungo e Guaporé em Brás de Pina, na Zona Norte do Rio de Janeiro. 


Foram identificados três núcleos distintos que vinham disputando o controle do território e orquestrados especialmente por lideranças que encontravam-se presas. Com a operação deflagrada e as prisões realizadas ao longo da investigação, efetivamente 56 milicianos com atuação na mesma região foram capturados e/ou responsabilizados criminalmente pelos crimes cometidos. 


Os mandados foram cumpridos em Duque de Caxias, Nova Iguaçu, nas Comunidades do Guaporé e Quitungo em Brás de Pina/RJ e no município de Carmo, na Serra Fluminense. 


A operação contou com apoio da Delegacia de Homicídios da Capital -DHC, da 112º DP (Carmo) e da  3ª DPJM. Após a identificação e indiciamento dos criminosos no curso do inquérito policial, a denúncia foi oferecida pelo GAECO e os mandados foram expedidos pela 3ª Vara Criminal do Município de Duque de Caxias/RJ, sob o número: 0028071-80.2019.8.19.0021, pelo crime de Extorsão (Art. 158 - CP), com pedido de Prisão Preventiva.


Quem tiver qualquer informação a respeito da localização desses foragidos da Justiça, favor denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp Portal dos Procurados (21) 98849-6099; pelo facebook/(inbox), endereço: https://www.facebook.com/procuradosrj/, pela mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177 ou 0300-253-1177 , ou pelo Aplicativo para celular – Disque Denúncia e tambémtambém pelos aplicativos: https://twitter.com/PProcurados, e https://www.instagram.com/portal.dos.procurados. A partir de agora as denúncias também podem ser feitas pelo site dos Procurados (www.procurados.org.br), na parte superior do site – Denuncie -. Em todos os casos, o anonimato é garantido.


Todas as informações sobre a localização dos foragidos serão encaminhadas para DHBF que está encarregada do caso e do inquérito criminal.

Veja também