Perícia inicial aponta que Elias Maluco se matou enforcado em lençol

Criminoso estava preso desde 2002 em presídio no Paraná

Enviado Direto da Redação

Foto: Divulgação

A advogada do traficante Elias Pereira da Silva, mais conhecido como Elias Maluco, revelou que o seu cliente foi encontrado morto com um lençol enrolado ao pescoço e preso dentro a uma pequena grade, no Presídio Federal de Catanduvas, no Paraná. De acordo com a advogada Lucéia Macedo, a perícia esteve na cela, mas o laudo final ainda não saiu para saber a hora exata da sua morte.

Segundo a advogada do criminoso que assassinou o jornalista Tim Lopes, a primeira hipótese é realmente de suicídio, já que as celas são individuais e, se alguém tivesse entrado onde Elias Maluco estava, as câmeras de segurança iriam registrar.

Porém, a advogada de Elias Maluco também quer entender a cronologia dos fatos da última terça (22). Ao jornal Extra, Lucéia disse que tinha uma reunião com o seu cliente na terça, às 16h, mas ao chegar lá soube que ele se recusou a ser atendido. A advogada só recebeu a notícia da morte quando já estava em casa, e achou estranho. Ela considera a possibilidade dele já estar morto quando ela foi até o presídio.

Por causa da pandemia, a relação entre advogados e clientes ficou mais impessoal, já que o contato passou a ser feito somente por meio de uma televisão. Com isso, Lucéia relatou que não conseguiu perceber como estava a saúde mental de Elias Maluco.

O Departamento Penitenciário do Estado do Paraná informou em nota que para confirmar o suicídio oficialmente é preciso aguardar o resultado da perícia da Polícia Federal. Há ainda a informação que Elias Maluco teria se desentendido com Marcio Nepomuceno dos Santos, mais conhecido como Marcinho VP, líder da mais facção criminosa do Rio de Janeiro. Ele também deixou algumas cartas que estão passando pela perícia.

O caso segue em investigação.

Relembre o caso

Elias Maluco foi condenado em 2002 pela morte do jornalista Tim Lopes
Elias Maluco foi condenado em 2002 pela morte do jornalista Tim Lopes | Foto: Divulgação

Elias Maluco, como era conhecido no mundo do crime, foi preso em setembro de 2002 e, três anos depois, foi condenado a 28 anos e seis meses de prisão pela morte do jornalista Tim Lopes. Há sete anos, Elias Maluco foi sentenciado a mais 10 anos, sete meses e 15 dias de prisão, pelo crime de lavagem de dinheiro. Desta vez, a sua companheira e a sogra também foram condenadas junto do traficante.

Tim Lopes foi morto, em junho de 2012, enquanto fazia uma reportagem sobre abuso de menores em um baile funk da favela Cruzeiro, na Penha. Ele foi carbonizado em uma espécie de 'microondas do tráfico' e só foi reconhecido através de DNA.

Veja também