Vídeo - Traficantes juram "Grisalho" de morte e exibem fuzis durante baile funk em São Gonçalo

Criminoso mudou de facção junto de 3N, Xandinho e Ricardinho

Enviado Direto da Redação

"É bala no c* do Grisalho, é bala no c* do Pochete". O 'hit' cantado por dezenas de pessoas em meio a um verdadeiro arsenal de armamentos durante um baile funk realizado na última semana na comunidade da Guindia, em São Gonçalo, fez sucesso e tomou conta das redes sociais. As ameaças são direcionadas ao traficante Carlos Eduardo Monteiro Barros, o Grisalho, e a um criminoso, conhecido como Pochete, que pertencem a facção criminosa Terceiro Comando Puro (TCP), principal grupo criminoso rival ao Comando Vermelho (CV), que comanda o tráfico de drogas em grande parte das comunidades localizadas em São Gonçalo. 

Em um vídeo que circula nas redes sociais, os traficantes exibem diversos armamentos ao som de proibidões, que juram os dois criminosos de morte. Além disso, a letra do funk diz que uma invasão do Comando Vermelho na comunidade da Alma, principal reduto do TCP em São Gonçalo, é questão de tempo. 

Após a sua mudança de facção em abril do ano passado, Grisalho tem sido vítima de uma enxurrada de ameaças por parte de pessoas ligadas a sua antiga facção, o Comando Vermelho. Em uma delas, criminosos do Complexo do Salgueiro ameaçaram cortar a cabeça do traficante, que atualmente está na localidade conhecida como Muquiço, na Zona Oeste do Rio.

Criminoso mudou de facção junto de 3N, Xandinho e Ricardinho
Criminoso mudou de facção junto de 3N, Xandinho e Ricardinho | Foto: Divulgação

"Grisalho seu traidor safado. O Comando Vermelho acreditou em você, te deixamos 'fortão' e você quase entregou nosso império pros 'tcputa' - denominação do Terceiro Comando Puro (TCP). Quando nós te pegar nós vai ranca tua cabeça dentro do Miriambi, sua mula(sic)", dizia a ameaça, postada em uma rede social ligada ao Comando Vermelho.

Grisalho como é conhecido no mundo do crime mudou de facção junto de Thomas Jayson Vieira Gomes, o 3N, após a morte do traficante Schumaker Antonácio do Rosário, o F1 ou Piloto, ex-chefe do tráfico de drogas do Jardim Catarina, assassinado a tiros, em abril do ano passado. Na época, ele chegou a revidar as ameaças e fez um áudio onde prometia reconquistar as áreas que comandava e desafiou alguns desafetos. Ele chegou a ser dado como morto na operação que terminou com a morte de Neném e seus seguranças Xandinho e Ricardinho, em novembro do ano passado, mas não teve o óbito confirmado. 

“Cês (sic) mexeram com o terror, o terror sou eu, é o bonde do Corinthians. Nós tá (sic) com o parceiro até o fim. Nós vai pular (sic) aí, nós vai (sic) terceirar essa p... aí, teu c... Nós é (sic) terceiro mesmo e nós vai (sic) pular aí dentro sinistramente, nós vai (sic) matar quem tiver aí, mano. Essa p... ai é do Corinthians, Rabicó é o c... É a Tropa do Corinthians po..., nós tá (sic) pesadão, nós tá (sic) com 200 fuzil, só latão, granada pra c..., nós vai (sic) cercar tudo e matar todo mundo”, disse.

 

Veja também