Família acusa PM de matar deficiente mental com tiro nas costas, no Caramujo; veja vídeo

PM diz que o homem reagiu a uma abordagem policial armado com uma faca

Enviado Direto da Redação
Wallace Santos tinha 28 anos e morava na localidade da Barreira, no Caramujo

Wallace Santos tinha 28 anos e morava na localidade da Barreira, no Caramujo

Foto: Divulgação


Por Alan Emiliano


Familiares e amigos de Wallace Santos, de 28 anos, acusam policiais militares do 12ºBPM (Niterói) de terem atirado pelas costas e matado o morador da localidade conhecida como Barreira no Complexo do Caramujo, na Zona Norte de Niterói, na tarde desta sexta-feira (24). 


De acordo as testemunhas, o rapaz  possuía transtornos mentais e tomava remédios controlados, e durante um surto teria ido em direção à uma viatura da PM, estacionada próximo ao Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO), danificado o veículo. Em seguida, ele teria saído do local, sendo atingido pelas costas por um policial do 12ºBPM (Niterói). Wallace não resistiu ao ferimento e morreu no local. 


"O meu primo não tinha nenhum envolvimento com o tráfico de drogas. Ele tinha problemas mentais. Diante disso, ele acabou danificando a viatura, o que não seria motivo para tamanha crueldade dos PMs. É inaceitável que isso continue acontecendo aqui na nossa localidade. Tenho certeza que não é o primeiro caso e, tampouco, o último. Lamentável uma situação desagradável dessa. Queremos que o responsável por isso seja punido da forma mais severa possível", disse o primo da vítima, o jovem Pedro Henrique, de 19 anos. 


Um vídeo, que circula nas redes sociais, mostra a indignação de parentes e amigos da vítima, que acusam os PMs de terem matado o morador da localidade. Nas imagens, os policiais militares não respondem às acusações feitas pelos moradores do Caramujo. 


Versão da PM - De acordo com informações do batalhão niteroiense, um homem teria chegado até o posto da 'Ocupação Lagoinha' muito alterado e danificado a viatura policial. Em seguida, teria saído do local, armado com uma faca, e durante a tentativa de imobilização do mesmo, ele reagiu com a arma branca. Nesse momento, um policial militar teria disparado na direção do acusado, vindo a atingi-lo. 


O corpo da vítima foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) do Barreto, em Niterói. O caso segue sob a investigação da Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo (DHNISG).

Veja também