Três pessoas são vítimas de bala perdida no Jardim Catarina, em São Gonçalo

Uma adolescente de 17 anos está entre os feridos

Escrito por Redação 13/02/2020 10:32, atualizado em 13/02/2020 11:12

“É mais uma vítima, ou pior, mais três. Um fato lamentável que tem acontecido todos os dias no Rio de Janeiro. Inocentes pagando pelo erro dos outros. A gente lamenta quando vê acontecendo com desconhecidos, mas quando a acontece com a gente o mundo desaba. A gente fica sem chão mesmo. Soube que a população forçou a barra para que a própria polícia socorresse as vítimas, se isso não tivesse acontecido eu poderia ter perdido minha filha”.

 

O relato é do motorista de caminhão Joilson Castro Coutinho, pai da jovem Nalandha Cruz Coutinho, de 17 anos, vítima de bala perdida, durante uma operação da Polícia Militar no Jardim Catarina, na noite da última quarta-feira (12).

 

Junto com Nalandha, outros dois homens também foram baleados durante a incursão policial. “De um lado a PM afirma que quem feriu os inocentes foram os traficantes que estavam na região, mas do outro lado, testemunhas afirmam que a polícia chegou atirando e que onde os inocentes foram feridos nem criminosos tinham por perto”, isso tudo será investigado, explicou um policial civil.

 

As três vítimas foram atingidas por disparos de arma de fogo. Um jovem de 24 anos, foi ferido no tórax, o outro homem, de 40 anos, atingido no braço, e a adolescente foi ferida na perna.  Todos as vítimas permanecem internadas no CTI, do Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, mas não correm mais risco de morte.

 

“Minha filha é uma menina cheia de sonhos”

 

Nalandha, de somente 17 anos, é uma menina ativa e cheia de planos para o futuro. Estudante do último ano do ensino médio, a menina é moradora de Santa Luzia, e trabalha como jovem aprendiz de uma empresa de TV a Cabo, no Jardim Catarina. A menina saía do trabalho quando foi ferida.

 

“Minha filha estava acompanhada de outras duas meninas que trabalham com ela. Elas estavam caminhando para casa quando se deparam com a operação policial. Uma jovem cheia de sonhos, que foi baleada e, se não tivesse sido socorrida a tempo, poderia ter perdido a vida”.

 

Nalandha passou por mais de quatro horas de cirurgia para depois seguir para o CTI. “Ela teve a veia do coração atingida pelo tiro. O tiro também pegou no osso. A cirurgia foi muito longa e delicada, mas os médicos disseram que foi realizada com sucesso. Porém, infelizmente, ainda tem o risco do corpo dela rejeitar. Esperamos que não ocorra, porque Deus nos ajudou até aqui e vai seguir com a gente. Peço muito que ela não fique com nenhuma seqüela, pois minha filha adora esportes e ama jogar futebol”, finalizou Jailson, que até o momento ainda não conseguiu ver a filha.

 

Versão policial

 

Conforme a Polícia Militar, a operação foi desencadeada depois que denúncias chegaram ao batalhão.

 

“Nós estávamos há dois dias com retirada de barricadas e sendo atacados por criminosos deliberadamente durante a ação dos policiais. Ontem, fomos checar uma denúncia de tráfico de drogas na localidade e tentaram montar uma emboscada para a nossa tropa, efetuando diversos disparos. Há algum tempo, eles estão com ordem para atirar a esmo e, consequentemente, atingem moradores e interrompem as operações", explicou o tenente coronel Gilmar Tramontini, comandante do batalhão de São Gonçalo.

 

Na ação, além dos três inocentes baleados, a polícia prendeu dois suspeitos, com munições e rádios transmissores.

 

Outros casos

 

Em cinco de dezembro, durante uma operação de policiais do 7ºBPM (São Gonçalo) na tarde de uma quinta-feira, para retirada de barricadas no Jardim Catarina, em São Gonçalo, terminou com um suspeito baleado, outro preso e uma moradora vítima de bala perdida, morta no local. A mulher, de 50 anos, seguia para buscar os netos na escola.

 

Segundo testemunhas, ela passava pela Rua Marcos da Costa, no Jardim Catarina Novo, quando as equipes adentraram a comunidade atirando. No confronto, a moradora acabou atingida, não resistiu aos ferimentos e veio a óbito no local.

Já no último 15 de dezembro uma idosa, identificada como Maria dos Remédios Vilarinho de Jesus, de 65 anos, foi morta a tiros, depois de ser atingida por uma bala perdida, na principal via do Jardim Catarina, em São Gonçalo.

O caso ocorreu por volta das 23h, quando criminosos atacaram à tiros uma viatura do 7º BPM (São Gonçalo), na Rua Albino Imparato. A idosa estava acompanhada de um dos filho e voltava de um chá de bebê.

Os policiais militares contaram que estavam em patrulhamento pelo local quando desconfiaram de dois homens em uma moto, que desobedeceram a ordem de parada e fugiram. Logo em seguida, tiros foram disparados contra a viatura, e acabaram atingindo a idosa, que morreu no local.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas