Câmeras ajudam a polícia a identificar os dois assassinos do policial militar em SG

Imagens foram captadas no circuito interno do centro comercial e estão sendo analisadas

Enviado Direto da Redação
Disque Denúncia lançou cartaz para ajudar nas investigações

Disque Denúncia lançou cartaz para ajudar nas investigações

Foto: Divulgação

O circuito de câmeras do Shopping são Gonçalo captou imagens que podem ajudar a identificar os dois homens que assassinaram o o 2º sargento da Polícia Militar do Rio de janeiro, Max Freitas Silva, executado a tiros na noite da última quarta-feira (16) durante um assalto ocorrido naquele centro comercial, no bairro do Boavista. A Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e são Gonnçalo (DHNISG) estão analisando as imagens  e a partir delas, tentando saber quem são os dois criminosos.   


Para auxiliar a polícia nas investigações , O Portal dos Procurados divulgou, na última  sexta-feira, dia (17), cartaz com título - Quem Matou? –, com informações que possam identificar e prender os envolvidos na morte do policial. 


Lotado na DCMUN – Depósito Central de Armas e Munições – do 4º Comando de Policia de Área -4º CPA – o agente de segurança, que estava de folga, foi atingido por um assaltante armado, após presenciar um roubo uma loja no interior do shopping, que estava sendo praticado por dois criminosos. 


O policial teria reagido ao assalto, e foi morto com um tiro pelas costas, por um dos assaltantes. O agente veio a óbito no local. Os criminosos teriam levado sua arma e fugiram em direção ignorada.A Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo esteve no local e busca imagens de câmeras de segurança para identificar a autoria do crime

Em menos de uma semana, quatro policiais militares foram atingidos. Sendo que dois foram baleados e dois morreram, em tentativas de assalto. Quem tiver qualquer informação a respeito da identificação e  localização dos envolvidos na morte do SGT Max, denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp  do Portal dos Procurados (21) 98849-6099; pelo facebook/(inbox), endereço: 

https://www.facebook.com/procuradosrj/, pelo mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, ou pelo Aplicativo para celular do Disque Denuncia.  

Todas as informações sigilosas sobre o caso serão encaminhadas para DHNSGI e PMERJ, que tem como prioridade prender os envolvidos na morte de Agentes de Segurança Pública no Rio de Janeiro.   

Veja também