'Pente fino' em presídios impediu 'chefões' de 'vazarem' ação da polícia em SG

Inspetores apreenderam 24 celulares onde estão presas lideranças do 'CV' ligadas a Salgueiro e J. Cataria

Enviado Direto da Redação
Celulares foram apreendidos em presídios do Rio de Janeiro

Celulares foram apreendidos em presídios do Rio de Janeiro

Foto: Divulgação

Inspetores penitenciários da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) apreenderam, nessa quinta-feira (16)  24 aparelhos celulares e um smartwatch na Penitenciária Gabriel Ferreira de Castilho, Bangu 3, no Complexo Penitenciário de Gericinó, no Rio de Janeiro. O smartwatch é um relógio que funciona como um smartphone, recebendo e fazendo chamadas telefônicas. A penitenciária abriga as principais lideranças do Comando Vermelho, considerada a maior facção criminosa do Rio de Janeiro.


A ação integrada foi realizada em apoio à Secretaria de Polícia Civil que, no mesmo horário, realizava uma grande operação nas comunidades do Salgueiro e Jardim Catarina, em São Gonçalo, comunidades comandadas por criminosos do 'Comando Vermelho'. A finalidade era evitar que, de dentro da prisão, as lideranças da facção passassem instruções aos comandados das duas comunidades.


A apreensão dos aparelhos ocorreu dentro da Operação Asfixia, que ocorre de forma contínua nas instituições penitenciárias do Rio. A operação, realizada pelos próprios inspetores penitenciários, apreendeu no ano passado, 10.286 celulares nas celas e galerias das unidades prisionais do Estado.


A Seap informou que vem trabalhando intensamente para combater qualquer tipo de irregularidade dentro das unidades prisionais, com destaque para outras duas operações iniciadas no começo do ano passado: Iscariotes e Bloqueio.De acordo com a secretaria, a Operação Iscariotes flagrou 23 servidores tentando entrar com objetos ilícitos nas cadeias. 


A Operação Bloqueio prendeu 115 pessoas tentando entrar com drogas e celulares em cadeias. Nesta ação, foram presas pessoas tentando arremessar drogas e celulares para dentro das unidades; mulher forjando gravidez para não passar no scanner; visitantes levando drogas na bainha da calça, entre outros casos.   Outra medida importante adotada pela secretaria para reforçar a segurança nas unidades prisionais foi o uso de alta tecnologia. Foram adquiridos três drones que estão sendo utilizados nas operações e fiscalizações.

Veja também