'La Catrina', a bela do tráfico com atuação igual a de 'Hello Kitty' é morta pela polícia

Com apenas 21 anos Maria Guadalupe gostava de se exibir nas redes sociais com armas pesadas, como 'Hello Kitty'

Enviado Direto da Redação

Belas, mas perigosas. A frase resume bem quem como são as jovens mulheres que, seduzidas pela vida perigosa e fora da lei, acabam abandonando o lar para ingressar 'nas fileiras' do tráfico. Com apenas 21 anos, a mexicana María Guadalupe López Esquivel, conhecida como "La Catrina" (personagem do Dia dos Mortos que é o esqueleto de uma dama da alta sociedade, a "Senhora dos Mortos"), acabou perdendo a vida após um confronto com a polícia. Ela era conhecida nas redes sociais por aparecer em fotos ostentando armas pesadas. Maria é espécie de versão mexicana da brasileira Rayane Nazareth Cardoso da Silveira, a 'Hello Kitty', de 26 anos, ligada ao 'Comando Vermelho (CV), que atua em comunidades de SG e Niterói. 


A semelhança de 'La Catrina' e 'Hello Kitty são muitas. Ambas entraram no mundo do crime pelas mãos de namorados fora-da-lei, Acabaram tomando gosto pela vida aventureira, a ponto de aprenderem os detalhes das técnicas de manisios de armas pesadas. A ostentação e o velho hábito de gostar de se exibir nas redes sociais também é uma característica dessas mulheres belas e fatais. O gosto pelas tatuagens também é uma característica comum: ambas tem grandes desenhos na coxa direita.    


'La Catrina'- A criminosa recebeu o apelido por causa de uma tatuagem de "La Catrina" que tinha na coxa direita. E foi essa marca que ajudou na identificação no momento da captura. De acordo com a polícia local, ela morreu enquanto era levada para o hospital após ser atingida por um disparo no pescoço durante tiroteio com policiais no estado de Michoacán, na região central do México, na última sexta-feira (10).


Maria Guadalupe López Esquivel, 21, chamava a atenção nas redes sociais por suas fotos com armas banhadas em ouro, mas também era procurada pela polícia pela violência com que tratava rivais e homens das forças de segurança. Segundo a polícia mexicana, ela era uma das líderes do cartel Nueva Generación ("Nova Geração") de Jalisco, estado na costa oeste do México, no qual estava desde 2017, e chegou a comandar um dos grupos de sicarios (pistoleiros) da organização. Em outubro do ano passado, ela participou do ataque a um comboio da polícia que deixou 13 policiais mortos e 9 feridos. A morte de 'La CAtrina', segundo as autoridades mexicanas, representa um 'baque' na organização a qual pertencia. 


'Hello Kitty' - Rayane Nazareth Cardoso da silveira, a 'Hello Kitty', se tornou uma das mais procuradas pela polícia do Estado do Rio, após a morte de Thomas Jayson Vieira Gomes, o '3N', durante tiroteio com policiais civis e militares o sítio luxuoso que usava como esconderijo, em Cabuçu, na região de Itaboraí. Outros cinco colaboradores da quadrilha dele também morreram na ação, no fim de novembro do ano passado. 


Aos 26 anos, bela e jovem como 'La Catrina', Rayane também escolheu um apelido famoso para se identificar na vida do crime. 'Hello Kitty', é uma gata virtual conhecida mundialmente, principalmente pelo público infantil, através das redes sociais. Mesmo jovem, Rayane tem o nome associado a crimes de assalto e participação no tráfico de drogas e homicídios. Sua base de atuação, segundo a polícia, é a comunidade da Nova Grécia, na região de Tribobó, São Gonçalo. Fá incondicional do funk, costuma se divertir ao som do 'batidão' em comunidades dominadas pela facção a que pertence: o 'Comando Vermelho'. 


Segundo a polícia, Rayane é uma das principais colaboradas de Alessandro Luiz Vieira Moura, o 'Vinte Anos', apontado como o líder do tráfico na Nova Grécia. Quando está fora da comunidade, ela costuma andar de calças compridas para esconder a grande tatuagem que tem na perna direita, que pode identificá-la e levá-la à prisão. O Disque Denúncia (2253-1177) oferece R$ 1 mil para quem der informações sobre ela. O nome de Rayane aparece em inquéritos sobre roubos, homicídios e tráfico de drogas em delegacias de São Gonçalo e Niterói.  

Veja também