Delegacia de Atendimento à Mulher de São Gonçalo é a que mais prende no município

Em novembro, Deam-SG foi a quarta que mais prendeu no estado

Escrito por Redação 19/12/2019 10:56, atualizado em 19/12/2019 11:53
Em novembro, Deam-SG foi a quarta que mais prendeu no estado
Em novembro, Deam-SG foi a quarta que mais prendeu no estado . Foto: O São Gonçalo


Renata Sena


Quem pensa que as Delegacias de Atendimento à Mulher (Deam) trabalham apenas em casos de violência doméstica está enganado. A Deam de São Gonçalo, por exemplo, ficou em quarto lugar em número de prisões considerando todo Estado do Rio. A especializada realizou prisões sobre diferentes tipos de crimes e ficou, inclusive, na frente de todas as outras delegacias do município.

Se considerarmos todo o ano (de janeiro a novembro), a Deam(SG) realizou 152 prisões, garantindo, com folga, a primeira colocação entre todas as Deam's do estado. A segunda posição é da especializada de Nova Iguaçu, que prendeu 108 pessoas.

O número de prisões alto é explicado pela delegada Débora Rodrigues. Ela diz que seus policiais não focam apenas no crimes de violência doméstica, mas em todos os crimes que são denunciados à delegacia.

"Mais uma vez a Deam de São Gonçalo ficou em primeiro lugar no ranking entre as Deam's de todo estado do Rio de Janeiro. Nós prendemos, não só pessoas envolvidas com violência doméstica, mas também assaltantes, ladrões de carga, estupradores. E prendemos essas pessoas porque nossas vítimas também fazem denúncias. Muitas vezes uma vítima faz uma denúncia, mas não existe nada contra a pessoa, mas tem contra um primo, um amigo. Em alguns casos, o agressor se garante nesta pessoa que é procurada. Além das denúncias anônimas que recebemos", disse a delegada.

E para que resultados como este continue ocorrendo, a delegada Débora pede que a população continue acreditando na Polícia Civil e siga denunciando os criminosos, seja qual for o crime cometido.

"É importante que continuem denunciando. Muita gente vem se esconder em São Gonçalo. Tendo a informação, denuncie que nós estamos aqui para cumprir todos os mandados de prisão. Liguem através do 2253-1177, liguem para o 180. Nos ajudem a continuar esse trabalho", pediu.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas