Sequestro na Lapa foi causado devido desentendimento com dona do bar

Reféns foram liberados por volta das 22h40

Enviado Direto da Redação
A dona do bar contou que o acusado, Danilo Macedo, chegou agitado no local, falando que iria se vingar

A dona do bar contou que o acusado, Danilo Macedo, chegou agitado no local, falando que iria se vingar

Foto: Divulgação

Os momentos de tensão vividos pelos sequestrados em um bar na Lapa, no Rio de Janeiro, durou mais de oito horas. Por volta das 22h40 desta sexta-feira (29), os dois últimos reféns foram liberados e o sequestrador foi preso por policiais militares, que invadiram o estabelecimento e imobilizaram o criminoso, fazendo uso de uma arma de eletrochoque. 


O sequestro começou por volta das 14h, quando um homem armado com um facão e garrafas com gasolina invadiu o Bar da Preta e fez sete pessoas reféns. A invasão ao estabelecimento teria sido motivada por desavenças entre o sequestrador e a dona do estabelecimento.


Lucia Aparecida, a dona do bar, contou que o acusado, Danilo Macedo, chegou agitado ao local, falando que iria se vingar, enquanto jogava os pratos dos clientes que estavam nas mesas para cima. Ele ordenou que todos fossem ao banheiro, onde ficaram durante toda a ação. 


Segundo a mulher, na semana passada ele teria esbarrado em uma mesa, o que teria causado o desentendimento com um cliente e ela. Durante o sequestro, Danilo ficou em contato com o vendedor de balas, Gilberto da Silva, seu amigo há anos. 


Ao rapaz, o sequestrador admitiu que estava arrependido, enquanto chorava. Todas essas mensagens e ligações foram acompanhadas pelo Batalhão de Operações Especiais (BOPE), da Polícia Militar.


Cliente vira meme após sair com cerveja do bar -  Em meio a todos os momentos de tensão, um dos reféns virou meme após sair do estabelecimento carregando uma garrafa de cerveja nas mãos e sorrindo. O técnico de refrigeração Isaías Gonçalves teria ido até o bar consertar um freezer que estava com defeito.


A vítima teria acabado de chegar quando Danilo fechou as portas do estabelecimento.  Isaías ainda explicou que o sequestrador pediu para que ele saísse com a garrafa na mão, que ele era um 'cara' maneiro e que tinha gostado dele.

Veja também