Após matar dois dois homens no Polo Gastronômico, PM é afastado das ruas

A DH utiliza a hipótese de legítima defesa

Enviado Direto da Redação
A briga teria começado após o PM se recusar a pagar R$ 5 por uma vaga de carro

A briga teria começado após o PM se recusar a pagar R$ 5 por uma vaga de carro

Foto: Reprodução

A conduta do Policial Militar Rogério Marques Nunes, da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) de Jacarezinho, está sendo investigada pela Corregedoria da Polícia Militar. O agente é acusado pela morte do flanelinha Alex César Ferreira de Castro e do técnico de elevadores Sérgio Souza Júnior, no Polo Gastronômico de Vista Alegre, no último sábado (9). Segundo testemunhas, a briga teria começado após o PM se recusar a pagar R$ 5 por uma vaga de carro.


A PM afastou o policial da função. Por hora, Rogério ficará sem o porte de arma e fará serviços administrativos. O delegado Daniel Rosa, da Delegacia de Homicídios (DH), investiga se o PM cometeu dois homicídios e duas tentativas de homicídios.


No momento, a DH utiliza a hipótese de que o agente usou força moderada em legítima defesa para evitar que sua arma fosse roubada, visto que o PM teria dado apenas dois tiros. Segundo o delegado de plantão no sábado, Rogério acionou a polícia e foi espontaneamente à delegacia, onde entregou uma pistola .40 para passar por perícia. A Delegacia de Homicídios deverá fazer uma reconstituição do caso nos próximos dias.

Veja também