Mulher era obrigada a comer fezes e ver vídeos do companheiro fazendo sexo com outras mulheres

Caso aconteceu em Miracema

Enviado Direto da Redação
Caso aconteceu em Miracema

Caso aconteceu em Miracema

Foto: Divulgação

A Polícia revelou, nesta sexta-feira (8), que Franciane Moizes Pedro, de 27 anos, morta com requintes de crueldade pelo companheiro, em Miracema, no Noroeste Fluminense, em setembro deste ano, era forçada a comer fezes e assistir o acusado, Gutemberg Xavier Alves, 42, que é soropositivo fazendo sexo com outras mulheres. 


Apesar do crime ter acontecido em setembro, a família só teria denunciado o desaparecimento de Franciane no início de outubro. O corpo da jovem foi enterrado no quintal de casa, mas após a polícia suspeitar da participação de Gutemberg, ele teria desenterrado a vítima e cortado em pedaços. 


O acusado ainda teria usado um homem com transtorno mental para sumir com partes do corpo. De acordo com a polícia, ele pensou se tratar de um cachorro morto. Restos mortais da jovem foram encontrados pela polícia em uma área rural, em Palma, Minas Gerais, que faz divisa com Miracema, no último dia 25. Gutemberg é considerado foragido pela Justiça.


O delegado responsável pelo caso, Gésner Bruno, informou que, pelo menos, 20 depoimentos já foram colhidos e que, em um deles, uma confidente da vítima teria contado que Franciane era obrigada a assistir aos vídeos de Gutemberg fazendo sexo com outras mulheres, enquanto ele se gabava de contaminar as mesmas com o vírus do HIV.


Ainda de acordo com o delegado, a vítima chegou a relatar para amigos que Gutemberg a obrigou a fazer uma tatuagem em seu corpo, com a frase: "Gutemberg, eu te amo!".

Veja também