Justiça decide data de julgamento de ex-PM que torturou mulher em Caxias

Além de torturar, ele manteve a vítima em cárcere privado por três semanas

Enviado Direto da Redação
Daniel também está sendo investigado por sua conduta na PM

Daniel também está sendo investigado por sua conduta na PM

Foto: Reprodução


A Justiça do Rio marcou a data para o julgamento do ex-policial militar Daniel Deglmann, de 43 anos, que foi acusado de de dopar, torturar e manter em cárcere privado a ex-companheira, de 23. Segundo informações, o crime durou três semanas e ocorreu em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O homem foi preso e está desde 24 de setembro na Unidade Prisional da Polícia Militar, no Fonseca, em Niterói.



O julgamento acontecerá no dia 5 de novembro no Juizado da Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher, da Comarca de Caxias. O advogado Eduardo Domingos, que defende o acusado, diz que ele nega que cometeu esses crimes, mas Eduardo não conseguiu explicar as marcas de espancamento presentes no corpo da vítima.  O advogado ainda completa dizendo que as acusações da ex de Daniel são falsas.


Domingos afirmou: “Vamos apresentar a defesa dele em juízo.” Além disso, ele disse também que vai entrar com um novo pedido de liberdade para Daniel. 



O ex-policial está sendo acusado pelo Ministério Público do Estado de tortura, sequestro, cárcere privado e violência doméstica contra a mulher. Ele pode pegar até 20 anos de prisão, se for condenado. 



Já no lado da ex-companheira de Daniel, a assistente da acusação será a Defensoria Pública do Estado. 



Daniel também está passando por um processo na Corregedoria Interna da PM. De acordo com fontes da corporação, o comandante do 16º BPM entregou ao corregedor da PM documentos que falam sobre a conduta de Deglmann. 



No começo do mês passado, a Justiça negou um pedido de habeas corpus para Daniel. Segundo informações da Polícia Civil, esta não é a primeira vez que o ex-PM é denunciado por agressão. Em 2009, ele foi acusado de cometer este mesmo crime contra uma outra ex-namorada.  



No julgamento, será a primeira vez que a Daniel e sua ex se encontrarão. O processo corre em segredo de justiça.

Veja também