Primeira criança acolhida por Flordelis não tem registro de adoção na justiça

Rayane dos Santos não tem processo de adoção oficial

Enviado Direto da Redação
Rayane foi a primeira criança que Flordelis acolheu em sua casa

Rayane foi a primeira criança que Flordelis acolheu em sua casa

Foto: Divulgação


Rayane dos Santos Oliveira foi a primeira criança acolhida pela deputada federal Flordelis dos Santos (PSD), em 1993, na Central do Brasil. Mas, ao que parece, a criança nunca foi adotada oficialmente, já que não existe nenhum processo na justiça sobre a adoção da jovem.



Rayane foi acolhida por Flordelis quando ainda tinha poucos dias de vida, sendo cuidada por Simone dos Santos, filha biológica da deputada. Simone tem a guarda de Rayane, mas isso não passou pelo aval de nenhum juiz. Mesmo que Simone quisesse adotar a jovem, ela não poderia, pois o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) pede que a diferença de idade dos que vão adotar para os adotados seja de, no mínimo, 16 anos e a diferença das duas é de 13 anos. 



Flordelis conta a história de Rayane, inclusive em sua biografia, em que a deputada diz que a mãe da menina não tinha condições de criá-la e deixa a Rayane em um lixão. Nessa época, Flordelis morava no Jacarezinho e Anderson do Carmo, que tinha 16 anos, já ia à casa dela e eles mantinham um relacionamento. 
Flordelis ainda conta que a menina e sua mãe biológica, Léa, foram para sua casa, mas Léa só ficou duas semanas lá, deixando a jovem aos cuidados de Simone. 



Flordelis, que foi eleita deputada federal ano passado com mais de 200 mil votos, tem como bandeira a desburocratização do processo de adoção e, este ano, já liderou um seminário sobre o tema na Câmara dos Deputados.



De acordo com o Código Penal, registrar o filho de outra pessoa como seu é crime e tem pena de dois a seis anos. A assessoria da deputada não quis se pronunciar sobre o assunto e, quando procurada, apenas contou mais uma vez a história de Rayane.



Outro caso de dúvidas de paternidade na família de Flordelis é sobre o jovem de 21 anos, Daniel dos Santos Souza. Ele sempre foi apresentado como filho da deputada e de Anderson, mas a mãe de Anderson, Maria Edna do Carmo, diz que o pastor não tem filho nenhum biológico. Então, Daniel seria adotado, mas também não existe nenhum processo de adoção que seja dele. 



Na última terça-feira (17), Rayane, que mora com o marido em Brasília, teve seu celular apreendido pela Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG), que investiga a morte do pastor Anderson do Carmo, morto a tiros no dia 16 de junho. Os filhos do pastor são a principal suspeita do caso nesta segunda parte do processo.



Em nota, a assessoria de Flordelis informou:


"A história da Rayane é verdadeira. Ela foi encontrada em terreno baldio faltavam dias para Simone completar 14 anos. Simone passou realmente a me ajudar a cuidar dela em fevereiro de 1994, quando outros bebês chegaram porque Rayane tinha crises convulsivas e precisava de uma atenção especial. Simone já estava super agarrada a menina, então ela era a pessoa que cuidava especialmente da Rayane. O registro da Rayane foi bem depois. Não sei precisar o ano, porque foram tantos processos e eu estava lutando com todas as minhas forças para não perder as crianças e adolescentes e já tinha me apegado a cada uma delas, tendo que provar que tinha condições de ficar com todos porque já éramos uma família. Mas Simone, como todos, só parou com os estudos porque fugi como está contado no livro. Virei fugitiva para não perder meus filhos. Depois, Simone voltou a estudar e apenas parou a faculdade de enfermagem porque ficou doente, com melanoma, que deu metástase, e não conseguiu concluir. Hoje, além de lutar para que a doença não volte, está com síndrome do pânico e crise de ansiedade pelos traumas que os tratamentos lhe causaram".

Veja também