Família alega que jovem foi preso injustamente em Itaboraí

João Marcos Gomes foi preso no último dia 3 de setembro

Enviado Direto da Redação

Por Alan Emiliano

Familiares, amigos e clientes do lavador de automóveis João Marcos Gomes, de 25 anos, alegam que o morador da localidade Novo Horizonte, no bairro Manilha, em Itaboraí, foi preso injustamente, no último dia 3, durante cumprimento de mandado de prisão pelo crime de roubo majorado pelo porte de arma de fogo.

"Como as pessoas conseguem imaginar a dor de um pai vendo o seu filho sendo preso injustamente?! Não sei expressar a minha dor, acredito que isso só irá passar no dia em que eu ver o rosto do meu filho e poder falar do amor que tenho por ele. O João é um rapaz sem palavras, trabalhador e que só queria fazer o trabalho dele e voltar para casa para poder descansar, ele tinha o hábito de dormir cedo para conseguir aguentar a rotina do dia seguinte no lava-jato. Estou sem acreditar até agora, mas a justiça lá de cima é maior do que a da terra, tenho certeza que fez os crimes vai pagar por isso", disse o comerciante e pai de João Marcos, Antonio Gomes, de 47 anos.

De acordo com a polícia, o jovem havia sido identificado em roubos nos meses de março e abril nos municípios de Itaboraí e São Gonçalo. Em um desses casos, ele teria sido acusado de ter realizado o crime, na manhã do dia 4 de abril, no Bela Vista, em Itaboraí, onde a vítima foi uma policial militar lotada no 7ºBPM (São Gonçalo).

Segundo a investigação da 71ªDP (Itaboraí), os agentes identificaram que o homem abordava as vítimas, em sua maioria do sexo feminino, a bordo de um veículo, modelo UNO em uma cor escura, e realizava os crimes na parte da manhã. Entretanto, os familiares da vítima afirmam que o jovem não sabe conduzir nenhum veículo automotor e, tampouco, possui Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

"É impossível que o meu filho tenha cometido esses crimes, a vida dele é do trabalho para casa e não possui esse perfil de criminoso. Todos nós aqui conhecemos a rotina dele e sabemos que a única coisa que ele fazia era trabalhar para poder se sustentar e fazer as coisas que ele gostava. É um sentimento muito difícil e que não tenho condições de expressar essa dor. Meu filho tá pagando por crimes que ele não cometeu. Quero que ele volte logo para podermos ver o sorriso de sempre dele. Volta logo, meu filho", disse a mãe do jovem, a dona de casa Carla Dias, de 43 anos.

Nas redes sociais, os comentários são de indignação diante da prisão de João Marcos realizada durante o seu expediente no último dia 3. A namorada de João alegou que o companheiro mantinha uma rotina diária de trabalho e que não possuía nada com relação a esse tipo de crime.

"Meu namorado sempre foi uma pessoa de coração ímpar, é uma injustiça enorme o que estão fazendo com ele. Creio na justiça e to fazendo as orações para que ele saia daquele lugar sujo e de gente que faz ameaça a sociedade. Ele não faz nada disso, estou morrendo de saudade", disse Tatiane Coutinho, de 27 anos.

João Marcos foi levado para a triagem no presídio de Benfica e, em seguida, transferido para o Presídio Ary Franco, em Água Santa, na Zona Norte do Rio.

Veja também