Filha de Flordelis revela que ofereceu R$ 10 mil para matar o pai

O dinheiro utilizado seria furtado da vítima

Enviado Direto da Redação
O dinheiro utilizado seria furtado da vítima

O dinheiro utilizado seria furtado da vítima

Foto: Divulgação


Segundo depoimento divulgado pelo jornal O Globo, nesta terça-feira (20), uma das filhas adotivas da deputada federal Flordelis (PSD-RJ) teria afirmado que ofereceu R$ 10 mil a um irmão Lucas Cezar dos Santos (também adotado pelo casal), para que ele matasse o pai, o pastor Anderson do Carmo.  


A conversa segundo ela, teria acontecido através de mensagem enviadas pelo aplicativo WhatsApp. Lucas teria aceitado, mas disse que cometeria o crime dentro da casa deles. Marzy então teria dito que o melhor seria simular um assalto na saída da igreja.


Mas horas depois da trama, segundo Marzy, ela se arrependeu e ligou para o irmão, desfazendo o acordo. Segundo o jornal, Flordelis teria dito que a filha não deveria fazer nada de que pudesse se arrepender. O dinheiro utilizado para o crime seria furtado do próprio Anderson.


Marzy contou ainda, que Anderson ficou sabendo que havia um plano para matá-lo e conversou com cada filho. Lucas, de 18 anos, foi denunciado pelo homicídio junto com Flávio dos Santos Rodrigues, de 38 anos, filho biológico de Flordelis. 


Em nota, Flordelis, por meio da assessoria de imprensa, esclareceu que: "É mentira, a acusação do filho adotivo Wagner Andrade Pimenta, de ser ela a mentora intelectual do assassinato do Pastor Anderson do Carmo. Mentira maior é o Wagner Andrade Pimenta ter dito que ela vinha manipulando os filhos até encontrar um que tivesse coragem para matar o Pastor Anderson. Mentira maior ainda é o Wagner Andrade Pimenta ter afirmado que ela teria dito a ele que o Pastor Anderson estava dando volta nela com relação ao dinheiro. Mentira estupidamente maior é Wagner Andrade Pimenta dizer que o Pastor Anderson ficou internado cinco dias em outubro, porque estava recebendo remédios a mando dela com o intuito de envenená-lo". 


Com relação ao trecho da matéria do Jornal O Globo que afirma: "Misael deu um novo depoimento à polícia e, na ocasião, relatou ter descoberto que Flordelis digitou uma das mensagens que a irmã, Marzy Teixeira, enviou para Lucas pedindo que ele matasse Anderson", a nota informa que "não é verdade, é um absurdo e não há nenhuma prova com relação a isso. Daniel ao prestar declarações contra ela está claramente instruído pelo Wagner Andrade Pimenta, de quem se aproximou muito na vida a ponto de exercer cargo de confiança no gabinete do vereador.  Por fim, o Wagner Andrade Pimenta, o Misael, afirma que pegou o celular do Pastor e fotografou uma mensagem. Sobre isso, a deputada pode reafirmar categoricamente que não há uma só prova que ela tenha sido mentora intelectual do crime".


Ainda segundo a nota, "Wagner Andrade Pimenta, o Misael, eleito vereador com o nome de Misael Flordelis é um dos primeiros filhos adotados por ela e criado por ela e pelo Pastor Anderson do Carmo. Por decisão do casal, Misael tinha papel destacado no grupo, de absoluta confiança  a ponto de ser tesoureiro das igrejas, do Instituto Flordelis e da residência da família. Seria também o herdeiro do capital político dela. Ela desconhece os motivos de Misael criar o cipoal de mentiras que criou sobre ela e de usar alguns filhos dela no projeto de desacreditá-la e envolvê-la com o crime. É muito sórdido tudo isso que o Misael tem feito com ela. Difícil de entender. O que ela percebe no Misael é uma ambição imensurável, situação que ela começou a notar quando ele quis atropelar o projeto político do grupo e ser candidato a deputado estadual na eleição passada e, depois, quando teve uma discussão acirrada com o Pastor Anderson para ser candidato a prefeito em São Gonçalo. E, recebeu a decisão de que não seria ele, mas provavelmente ela própria. A contrariedade dele de não ter sido escolhido, como queria, para ser o candidato da família a deputado estadual e para, no próximo ano, disputar a Prefeitura de São Gonçalo não justifica tamanha crueldade e ingratidão".


Veja também