Família enterra jovem que foi morto após ser confundido com traficante

Sepultamento do corpo de Dyogo Xavier reuniu cerca de 350 pessoas

Enviado Direto da Redação


Por Rafaela Batista*


Um dia para a família do jovem Dyogo Xavier, de 16 anos, dizer adeus. Familiares e amigos do rapaz que foi morto nessa segunda-feira, foi sepultado hoje (13), no cemitério municipal São Francisco Xavier, na Zona Sul de Niterói.


O enterro do jovem jogador de futebol contou com cerca de 350 pessoas, que pediam justiça pela morte de Dyogo, ou 'Dondom' como era conhecido, baleado nas costas ao ser confundido com um traficante, durante a operação que acontecia na Comunidade da Grota. 


O rapaz que estava indo atrás do seu sonho, ser jogador de futebol, carregava consigo uma mochila, com chuteiras, chinelo, uniforme e R$ 85,00 para ir até o clube do qual fazia parte, quando foi baleado pelos agentes de segurança que estavam no local. 


O avô do menino, Cristóvão Xavier Brito, que também era jogador de futebol, conta o que sentiu ao ver o neto no chão.


“Ele era um garoto bom demais e foi confundido, de repente, com um cara que seguia esse caminho errado. Mas, Deus sabe o que faz Eu só fiquei chateado, porque colocaram que ele como se fosse um traficante, mas não era. Se ele, eu seria o primeiro a falar”, contou o avô. 


Com um clima de despedida e tristeza pela perda do ente querido, familiares e amigos de Dyogo usavam durante o sepultamento uma blusa branca com manchas vermelhas simbolizando o sangue do rapaz.


A avó do jogador, Márcia Regina, de 58 anos, não mediu esforços na hora de elogiar o neto que acabava de enterrar.


“Ele era um garoto muito bom, abençoado e tinha tudo para crescer. Amado por todos e é possível ver isso, e eu não tenho nenhum comentário, só gostaria de agradecer à Deus por ter permitido que ele ficasse conosco esses 16 anos”, contou a avó de Dyogo que, logo em seguida, comentou também sobre o trabalho dos policiais.


“Em relação a polícia, eles estão muitos despreparados. Porque é uma vergonha uma coisa dessas”, finaliza.


Em homenagem ao ex-companheiro de campo, os atletas do América irão homenagear Dyogo no seu próximo jogo. Além da dedicatória, os jogadores que são da categoria sub-17, estavam presentes no enterro e entregaram a camisa de treino dele para o seu avô Cristóvão, que sempre o incentivou. Ele não conseguiu esconder a emoção por estar com a camisa que era do neto.


“Quando peguei a camisa, eu queria ver se ainda tinha o cheiro do suor do meu neto e sim, ainda tem. Ainda tem o cheiro dele”, diz Cristóvão.


Logo após o sepultamento, familiares e amigos de Dondom fizeram uma caminhada em homenagem, até a entrada da comunidade, pedindo paz e justiça em seu nome. 


Em nota, o 12°BPM (Niterói) informou que “em virtude das notícias falsas que estão circulando nas redes sociais, sobre uma possível escalada de violência na região da Grota, o comandante do 12° BPM, Sylvio Guerra, informa a ausência de fundamentos fáticos de tais notícias, não passando de boatos com intuito de causar pânico na população. Aproveito a oportunidade para informar que toda região encontra-se com policiamento reforçado para evitar atos de violência e de qualquer natureza. Reiterando por fim que a secretaria de estado de polícia militar e o 12°BPM estarão sempre à disposição da sociedade de Niterói”.


Estagiária sob supervisão de Cyntia Fonseca*

Veja também